Espresso

Espresso

LANCE!
22/09/2017
15:56

DOIS MOMENTOS
Após a eliminação na Libertadores, o desafio de Botafogo e Santos é juntar os cacos e não deixar a peteca cair no Brasileirão. Os clubes, contudo, vivem situação distinta. O Alvinegro carioca, sétimo colocado na tabela, com 37 pontos, vive um clima de tristeza, é natural, mas de total tranquilidade, mesmo depois da derrota para o Grêmio.

INSPIRAÇÃO
Rodriguinho passou rapidamente pelo saguão do Aeroporto Internacional de Guarulhos durante a chegada do Corinthians ontem à tarde. Expulso após ficar menos de dois minutos em campo no empate sem gols com o Racing (ARG), o meia estava abatido. É um sinal do que Fábio Carille precisa combater. Manter o equilíbrio psicológico do meia – e de todo o time, é o objetivo imediato.

PEQUENO, MAS GRANDE
Um modesto clube do interior de São Paulo está disposto a entrar em uma briga gigante contra os interesses da CBF e lutar para manter, na lei do Profut a exigência das Certidões Negativas de Débito. É o Rio Preto, que disputou este ano a Série A2 do Paulistão e acabou rebaixado. O clube recorreu ao Supremo pedindo que a obrigação de apresentar a CND para participar de competições seja considerada constitucional, ao contrário da liminar concedida pelo ministro Alexandre de Morais. A ação, inclusive, é anterior a decisão. A alegação o Rio Preto é simples: a inadimplência, o calote e a irresponsabilidade fiscal praticadas por alguns clubes acabam trazendo benefícios no campo, aumentando a capacidade dos maus pagadores investirem no time, em detrimento dos que cumprem a lei.

>> Clique aqui e cadastre-se e receba o L!Espresso por e-mail