icons.title signature.placeholder Luis Fernando Ramos
icons.title signature.placeholder Luis Fernando Ramos
21/08/2015
15:30

Nico Rosberg tinha todos os motivos para encerrar os treinos livres da sexta-feira em Spa-Francorchamps com um sorriso no rosto: o alemão foi o mais rápido em ambas as sessões e mostrou um trabalho melhor que o companheiro Lewis Hamilton na preparação do GP da Bélgica.

Mas a sensação que ficou foi a do susto. No final da segunda sessão, Rosberg viu o pneu traseiro direito de sua Mercedes explodir em plena reta a mais de 300 km/h. Ele perdeu o controle do carro, que rodou sobre o próprio eixo e parou na área de escape antes de atingir a barreira de pneus.

- Não senti nada antes, não houve nenhum aviso. Foi um grande choque num primeiro momento, porque eu não esperava por isso. Perder o controle completamente a 306 km/h porque algo quebrou na traseira direita não é bom. O carro ficou danificado também mas, por sorte, eu não atingi o muro - disse o alemão.

As cenas lembraram o GP da Inglaterra de 2013, quando diversos pneus explodiram durante a corrida, gerando cenas tão bizarras quanto perigosas. Assim, não foram poucos os que demonstraram no paddock preocupação com o acontecido com Rosberg. Um deles foi o brasileiro Felipe Massa.

- É importante entender o que aconteceu: se foi um problema na roda ou se foi o pneu mesmo que estourou. Se foi no pneu mesmo, é preciso entender. Numa pista como essa, não é muito agradável ver este tipo de problema acontecendo - disse o piloto da Williams.

As investigações sobre a causa da falha acontecem na Pirelli e também na própria Mercedes. O diretor-técnico Paddy Lowe negou que a equipe tenha usado regulagens de pressão nos pneus e ângulos da suspensão fora dos limites recomendados pela Pirelli.

Há também a suspeita que o problema possa ter começado quando Rosberg passou sobre a zebra na saída da curva Eau Rouge. Ela foi modificada neste ano justamente para inibir que os pilotos “cortassem” caminho ali.

Apesar do episódio, a Mercedes mostrou nos treinos livres uma grande superioridade sobre as demais equipes e seus pilotos são favoritos para a pole-position no treino de classificação deste sábado. Ferrari e Red Bull aparecem como principais candidatas na briga pela segunda fila. Apesar de um resultado discreto - apenas 16º no segundo treino -, o brasileiro Felipe Massa vê chances de uma Williams competitiva na classificação. Felipe Nasr encerrou o dia com o 9º melhor tempo e vai tentar colocar sua Sauber amanhã entre os dez primeiros.

Nico Rosberg tinha todos os motivos para encerrar os treinos livres da sexta-feira em Spa-Francorchamps com um sorriso no rosto: o alemão foi o mais rápido em ambas as sessões e mostrou um trabalho melhor que o companheiro Lewis Hamilton na preparação do GP da Bélgica.

Mas a sensação que ficou foi a do susto. No final da segunda sessão, Rosberg viu o pneu traseiro direito de sua Mercedes explodir em plena reta a mais de 300 km/h. Ele perdeu o controle do carro, que rodou sobre o próprio eixo e parou na área de escape antes de atingir a barreira de pneus.

- Não senti nada antes, não houve nenhum aviso. Foi um grande choque num primeiro momento, porque eu não esperava por isso. Perder o controle completamente a 306 km/h porque algo quebrou na traseira direita não é bom. O carro ficou danificado também mas, por sorte, eu não atingi o muro - disse o alemão.

As cenas lembraram o GP da Inglaterra de 2013, quando diversos pneus explodiram durante a corrida, gerando cenas tão bizarras quanto perigosas. Assim, não foram poucos os que demonstraram no paddock preocupação com o acontecido com Rosberg. Um deles foi o brasileiro Felipe Massa.

- É importante entender o que aconteceu: se foi um problema na roda ou se foi o pneu mesmo que estourou. Se foi no pneu mesmo, é preciso entender. Numa pista como essa, não é muito agradável ver este tipo de problema acontecendo - disse o piloto da Williams.

As investigações sobre a causa da falha acontecem na Pirelli e também na própria Mercedes. O diretor-técnico Paddy Lowe negou que a equipe tenha usado regulagens de pressão nos pneus e ângulos da suspensão fora dos limites recomendados pela Pirelli.

Há também a suspeita que o problema possa ter começado quando Rosberg passou sobre a zebra na saída da curva Eau Rouge. Ela foi modificada neste ano justamente para inibir que os pilotos “cortassem” caminho ali.

Apesar do episódio, a Mercedes mostrou nos treinos livres uma grande superioridade sobre as demais equipes e seus pilotos são favoritos para a pole-position no treino de classificação deste sábado. Ferrari e Red Bull aparecem como principais candidatas na briga pela segunda fila. Apesar de um resultado discreto - apenas 16º no segundo treino -, o brasileiro Felipe Massa vê chances de uma Williams competitiva na classificação. Felipe Nasr encerrou o dia com o 9º melhor tempo e vai tentar colocar sua Sauber amanhã entre os dez primeiros.