MXGP Itália

Divulgação

Gabriel Ibrahim
27/06/2016
16:32
Brasil

O fim de semana de Mundial de Motocross em Lombadi, na Itália, superou as expectativas com uma prova intensa, um público caloroso e clima quente. Os cerca de 30ºC do verão europeu esquentaram ainda mais a disputa com os melhores pilotos do mundo na 12ª etapa.

Os pilotos que encaram o circuito italiano de Mantova tiveram que lidar com um terreno arenoso imprevisível, que dificultou um pouco as coisas para os líderes das duas principais categorias Tim Gajser e Jeffrey Herlings.

Ficou ainda mais difícil alcançar Tim Gajser, agora com 94 pontos de vantagem. Mesmo na liderança, Gajser não é do tipo de piloto que compete apenas por pontos. Ele quer provar ser o mais rápido. “Foi uma das mais difíceis corridas da minha carreira. Tony pilotou muito bem na segunda prova, foi bom vê-lo andar tão rápido, mas eu fiquei feliz de passar por ele no final da corrida e ainda abrir um pouco de vantagem antes da linha e chegada”, conta o piloto.
Dois pilotos que se fizeram notar e tiveram seus melhores resultados da temporada, foram Guatier Paulin e Clement Desalle. Depois de um fim de semana intenso de trabalho o francês Paulin terminou em segundo no pódio da etapa. Enquanto que o Belga Desalle acabou em terceiro passando na frente de Cairoli.

O pódio ficou completo com Jeremy Van Horebeek. O belga Van Horebeek também é colega de equipe de Romain Febrve que está afastado devido a um acidente na prova do GP da Grã-Bretanha. Febrve deve voltar na próxima etapa que vai acontecer no dia 24 de Julho na República Tcheca. Chance para o piloto se recuperar no placar geral já que Cairoli conquistou a segunda colocação o deixando para trás.

“A Bala” que é Jeffrey Herlings tem feito jus cada vez mais a seu apelido. O invicto da MX2 conseguiu dessa vez marcar voltas mais rápidas do que os mais rápidos da MXGP. “Eu fiz o que eu tinha que fazer na hora certa de fazer. Meu número de vitórias é muito bom o que me deixa mais ansioso para a República Tcheca”, diz Herlings.