Motostudent

Divulgação

Gabriel Ibrahim
05/10/2016
10:47
Brasil

Promovida a cada dois anos na Europa, a MotoStudent é uma competição entre estudantes de engenharia de universidades do mundo todo. O objetivo é projetar, construir e avaliar um protótipo de motocicleta.

O Brasil terá representantes na competição este ano. Estudantes de engenharia da Universidade Federal de Itajubá (Unifei) integram a equipe que representará o país. O projeto desenvolvido será apresentado durante a exposição que acontecerá na cidade de Áragon, Espanha do dia 7 a 9 de outubro. No último dia do evento (9), os pilotos das equipes correm para exibir e avaliar o desempenho das motos apresentadas.

Segundo o piloto Ricardo Fox, que vai testar o equipamento na pista, o resultado é fruto de um intenso trabalho de equipe. “Queremos representar bem o Brasil e trazer um troféu para casa. A equipe toda trabalhou desde o meio do ano passado com garra e vontade de fazer o melhor projeto possível”, afirma.

Depois de testado o equipamento projetado e recebe a avaliação final no Circuito Motorland de Aragón. São duas categorias, a Petrol com motores de 250cc 4 tempos, monocilíndrico, e a Full Electric para veículos movidos à eletricidade.

A competição representa um desafio para os jovens engenheiros. Eles têm que provar habilidades como criatividade e inovação aplicadas na engenharia da moto contra os outros times.

Os integrantes da equipe da Unifei são pioneiros na participação. Desde 2014 o grupo compete na MotoStudent. Na primeira vez que compareceram ao evento a universidade custeou a inscrição e o envio do protótipo. Foi um incentivo crucial para que a equipe pudesse participar. Mesmo com pouco tempo para começar um projeto e sem ainda um piloto na equipe eles conseguiram comparecer à competição.


“Na parte da corrida, conseguimos a 13ª colocação e a disputávamos contra 32 equipes. Sendo que não tínhamos um piloto nosso, a organização teve que nos fornecer um piloto local e o mesmo conheceu a moto poucos minutos antes da corrida e a moto havia saído do Brasil ainda sem ligar” explica o líder da equipe Vitor Menandro.

Atualmente a maior dificuldade da equipe é a compra das passagens dos sete membros que obrigatoriamente devem estar presentes na Espanha e mais a do professor coordenador. “Estamos tentando várias maneiras de arrecadar o dinheiro necessário para a compra das passagens. Rifas, patrocínios e outros. Iremos lançar no mês que vem uma campanha de crowdfunding para tentar arrecadar o que falta” relata Vitor.

Para o MotoStudent deste ano, além de recrutarem mais membros novos, a equipe desenvolveu um novo protótipo com ajuda de softwares de excelência para simulação. “Nesse ano tivemos alguns acontecimentos importantes, como uma nova tecnologia em conjunto com GPS que proverá informações precisas a cada volta na pista. Tem também a parceria com o piloto Ricardo Fox, que nos trouxe proximidade com o meio da Motovelocidade nacional e o apoio prático que com certeza será um grande diferencial”, revela o estudante.

“O Brasil é conhecido como país do futebol e a gente quer mudar um pouco essa imagem. Na Espanha e na Europa a moto reina. Queremos mostrar pro mundo que o Brasil tem bons engenheiros e que podem produzir bons equipamentos”, ressalta Fox sobre a expectativa para a competição.