LANCE!
05/01/2016
07:00
São Paulo (SP)

Demorou, mas chegou. A demissão de Rafa Benítez do comando do Real Madrid veio e com ela o anúncio tão esperado de que Zidane será o novo técnico do time Merengue. O francês, que comandava o Real Castilla, espécie de time B, será o 11º técnico de Florentino Pérez no clube, somando os dois mandatos.

O primeiro deles foi Vicente del Bosque, atual técnico da seleção espanhola e que já estava por lá quando Florentino assumiu o cargo. Del Bosque ficou até 2003, quando foi substituído por Carlos Queiróz. O português ganhou a Supertaça da Espanha, mas foi despedido e voltou a ser auxiliar de Ferguson no Manchester United.

O substituto dele foi José Camacho, que havia dirigido a seleção espanhola na Copa de 2002 e estava no Benfica. No mesmo ano, o clube demitiu o Camacho e contratou Mariano García Remón, ex-goleiro do clube, pelo período de três meses.

Para o seu lugar, Florentino apostou em Vanderlei Luxemburgo. O brasileiro havia acabado de conquistar seu quinto título do Brasileirão, o segundo seguido por clube diferente. A expectativa era enorme, mas com um elenco recheado de estrelas, Luxa durou quase um ano.

Com a saída de Luxemburgo, para o fim de seu mandato, Florentino efetivou Juan Ramón López Caro, ex-técnico do time B, assim como Zidane.

Em seu retorno à presidência, Florentino teve sob seu comando o chileno Manuel Pellegrini, atual técnico do Manchester City. Pellegrini foi eliminado da Copa do Rei pelo modesto Alcorcón e da Liga dos Campeões pelo Lyon, além de ter terminado a liga em segundo.

Depois do chileno, Florentino contratou o português José Mourinho. Entre 2010 e 2013, o Special One ganhou o espanhol, a Copa do Rei, a Supercopa da Espanha. Sua gestão ficou marcada por conflitos com jogadores do elenco e duelos com Guardiola e Barcelona.

Mas quem conseguiu ganhar a décima Liga dos Campeões para o clube foi o italiano Carlo Ancelotti. No cargo de 2013 a 2015, Ancelotti ganhou ainda a Copa do Rei, a Supercopa da UEFA e o Mundial de Clubes.

O último da lista, Rafa Benítez, nunca foi unanimidade no clube e na imprensa em geral. Embora tenha conquistado Liga Europa, Liga dos Campeões e Mundial de Clubes, o espanhol foi considerado uma aposta do presidente.