LANCE!
05/05/2016
06:00
São Paulo (SP)

Em um ano de altos e baixos e após uma profunda reestruturação, o Palmeiras deixou de lado aquele antigo conceito de contratar jogador bom, bonito e barato. Segundo levantamento da revista Época, baseado em salários, direitos de imagem e de arena, o Verdão gastou R$ 162,6 milhões no ano passado, atrás apenas do Cruzeiro.

Todos os valores foram divulgados pelos próprios clubes, de acordo com as demonstrações financeiras publicadas. Dos 20 clubes que estavam na Série A no ano anterior, apenas o Sport não divulgou os dados citados.

Apesar da fraca campanha no Brasileirão, o Cruzeiro foi o clube que mais gastou em salários e direitos de imagem no país, com R$ 178,5 milhões, cerca de R$ 15 milhões por mês. Vale lembrar que o clube gastou muito com jogadores que pouco jogaram, como Júlio Baptista.

O Palmeiras contratou muitos jogadores e passou a ser visto como uma das melhores opções do mercado. Os R$ 162,6 milhões gastos em 2015 culminaram com o título da Copa do Brasil e vaga na Libertadores de 2016.

Alexandre Pato, Rogério Ceni e Luis Fabiano eram essenciais ao São Paulo em 2015, mas o custo era alto. Tão alto que o Tricolor gastou R$ 131,8 milhões no período, cerca de R$ 11 milhões por mês.

Fora da zona de classificação para a Libertadores de 2016, o Internacional teve gasto superior ao do campeão Corinthians. O Colorado teve gastos de R$ 123,3 milhões no ano passado.

Depois de não renovar com Guerrero e Sheik, além de negociar Fábio Santos, o Corinthians terminou o ano com o título nacional e um gasto de R$ 115,7 milhões em salários. A tendência é de que o valor seja menor neste ano, já que o clube perdeu jogadores importantes, e de altos salários, para a China.

Destino de Guerrero e Sheik, o Flamengo segue colocando as finanças em ordem. No ano passado, o clube quase ficou abaixo dos R$ 100 milhões em salários. Neste ano, Muricy, Juan e Mancuello engordaram a conta rubro-negra.

Completam o top-10 Grêmio, Atlético-MG, Fluminense e Santos. Os dois primeiros, que brigaram pelo título brasileiro, gastaram R$ 98 milhões e R$ 95,1 milhões, respectivamente. Longe das primeiras posições, o Fluminense gastou R$ 77,8 milhões em 2015. Já o Santos, vice-campeão da Copa do Brasil, teve gastos de R$ 69,7 milhões, menos de R$ 6 milhões por mês.