O LBCD é anexo à Universidade Federal do Rio de Janeiro e foi suspenso pela Wada (Foto: Divulgação)

O LBCD é anexo à Universidade Federal do Rio de Janeiro e já foi suspenso pela Wada (Foto: Divulgação)

LANCE!
19/10/2016
18:03
Rio de Janeiro (RJ)

A Agência Mundial Antidoping (Wada) anunciou nesta quarta-feira que cinco países, entre eles o Brasil, podem ser declarados fora dos padrões de conformidade com a atual versão do código mundial antidoping em uma reunião do órgão que acontecerá em novembro, em Glasgow, na Escócia.

Na última segunda-feira, um Comitê independente de controle da Wada reprovou a situação das agências nacionais antidopagem de Brasil, Azerbaijão, Grécia, Guatemala e Indonésia. Os países tem até 10 de novembro para apresentar soluções sobre os problemas identificados.

"Essas Agências Nacionais Antidoping atualmente não estão em conformidade com o código de 2015. A menos que seus assuntos pendentes sejam resolvidos antes de 10 de novembro, o Comitê irá apresentar recomendações de não-conformidade ao Conselho de Fundadores da Wada, que se reunirá em 19 de novembro de 2016 em Glasgow, na Escócia", explicou a agência em nota.

O órgão aponta como pendências qualquer tipo de não conformidade com as leis ou regras, uso de laboratórios não credenciados pela Wada e problemas em relação ao programa antidoping, entre outros.

– Tenho de analisar direito o comunicado da Wada. Mas posso adiantar que, o que tiver de ser corrigido, vai ser – afirmou o Secretário Nacional da Agência Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), Rogério Sampaio ao LANCE!.

Uma das exigências da Agência Mundial Antidoping sempre foi a criação de um Tribunal único para julgar os casos de doping no Brasil.

– Fomos até Montreal, no Canadá (na sede da entidade), e levamos para a Wada todo um cronograma para o desenvolvimento desse tribunal único dentro do país. A ideia é que ele entre em funcionamento em fevereiro do próximo ano. Nesse período até lá, teríamos as nomeações, entre outras coisas – explicou Sampaio.


Em novembro do ano passado, o Brasil já havia entrado em uma lista de atenção, ao lado de Bélgica, França, Grécia, México e Espanha, durante a reunião do Conselho de Fundadores em Colorado Springs, nos Estados Unidos. 

O laboratório antidoping do Rio de Janeiro (LBCD), o único do Brasil para esta função, chegou a perder seu credenciamento no dia 24 de junho, a menos de dois meses dos Jogos Olímpicos, após a Wada constatar um erro em um dos exames feitos no local. O governo federal conseguiu recuperá-lo a tempo do megaevento. 

Em 2013, o Ladetec, que funcionava no campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), também havia sido descredenciado por falhas na operação. A autorização só foi recuperada após a estrutura ser totalmente reformulada, no mesmo local, ao custo de R$ 134 milhões.

*Atualizada às 20h36