Alberto Contador

Volta da Espanha marcará a despedida de Alberto Contador (Foto>:AFP)

LANCE!
19/08/2017
21:01
Madri (ESP)

A Volta da Espanha-2017 – o terceiro e último “Grand Slam” do Ciclismo, depois do Giro da Itália e a Volta da França – teve início neste sábado. Pela quinta vez, o start ocorreu na França, em Nimes, com o contrarrelógio de 13km. 

Com o tempo de 15m58s, o australiano Rohan Dennis e a sua equipe BMC venceram a primeira etapa contra-relógio por equipes. O resultado era esperado, com o time seis segundos à frente da equipe Quick Step e da Sun Web. A equipe Sky, principal concorrente da BMC neste tipo de prova, ficou em quarto lugar.

– Estávamos nervosos esperando o tempo da Sky, pensávamos que perderíamos a liderança, porém fomos fortes como um time e será ótimo vestir a camisa vermelha (a do líder) – disse Dennis.

A Volta começa para valer neste domingo, com a etapa entre as cidades francesas de Nimes e Gruissan (201km).

A edição deste ano tem uma atração-extra: a despedida de Alberto Contador das grandes competições. O titular da equipe Trek ainda pedala em alto nível (foi nono colocado na Volta da França) e quer fechar sua era com chave de ouro, conquistando o tetracampeonato da prova (levou em 2008, 2010 e 2014), para festa dos compatriotas. Caso seja campeão, Contador – que é uma lenda do ciclismo, com vitórias nos três grandes tours – será o primeiro tetra da história da Volta da Espanha.

Mas a concorrência é complicada para Contador. Todas as fichas estão em  dois nomes: o britânico Chris Froome (equipe Sky) e o italiano Vicenzo Nibali (Bahrain-Mérida).

Nairo Quintana é o atual campeão. Mas sua equipe teve uma proposta ousada e já considerada errada: queria que ele participasse e vencesse os três grandes tours em 2017, incomum para os grandes ciclistas. Nairo foi vice no Giro da Itália e na Volta da França sentiu o cansaço, terminando apenas em 11º. Por isso, a equipe e o ciclista acharam por bem, às vésperas do início da competição,  não participar da Volta. 

Chris Froome não disputou o Giro da Itália para focar na Volta da França e isso deu certo: foi o campeão, assegurando o tetra e o terceiro caneco consecutivo na volta mais importante do ciclismo. Vice-campeão da Volta da Espanha em 2016, Froome espera o topo e acabar com a fama de só brilhar na França. Mas há a dúvida se sentirá o peso de duas competições de ponta consecutivas.

Assim, Vicenzo Nibali aparece com favoritismo. Terceiro do Giro da Itália, o italiano não disputou a Volta da França para entrar com tudo na competição espanhola.

O italiano Fabio Aru (Astana) foi campeão na Espanha em 2015 corre por fora. As grandes ausências da “Vuelta”: o campeão de 2007 Alejandro Valverde fraturou a rótula na primeira etapa da Volta da França e só retorna em 2018; e o holandês Tom Dumoulin (da Sunweb), que se foca em apenas uma grande prova por ano e em 2017 correu o Giro da Itália (foi o campeão).