Donald Trump ainda não havia sido eleito presidente. Hilary Clinton era a favorita pelas pesquisas

Reprodução

LANCE!
23/09/2017
18:03
São Paulo (SP)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, solicitou na última sexta-feira que as franquias da NFL demital os jogadores que não se levantarem durante a execução do hino nacional (antes das partidas). Desde o ano passado, diversos atletas se recusaram a ficam de pé em protesto pelos problemas sociais e raciais no país.

- Isso é uma falta de respeito total com nossa história nacional. É uma falta de respeito com tudo que defendemos - declarou o presidente, que também lamentou que as partidas estão ficando menos violentos 'Estão arruinando o jogo.

Desde a última temporada, diversos jogadores da liga de futebol americano se recusam a se levantar durante o hino como forma de protesto principalmente pelo tratamento da polícia aos negros. O responsável por iniciar o movimento foi o então quarterback do San Francisco 49ers, Colin Kaepernick.

Na época, o presidente Barack Obama considerou a manifestação legítima. Trump, no entanto, chegou a sugerir a Kaepernick 'procurar outro país' para morar. Agora, o político também pediu a demissão dos atletas.

- Não os agradaria ver um dos proprietários das franquias da NFL, quando alguém não tiver respeito com a nossa bandeira, dizer: 'Saia deste campo imediatamente. Fora! Está despedido'? - questionou Trump durante discurso. 

Em resposta, a NFL divulgou à Sports Illustrated uma nota comentando o caso.

'A NFL e nossos jogadores estão melhores quando ajudamos a criar um senso de unidade em nosso país e nossa cultura. Não há exemplo melhor do que a extraordinária resposta dos nossos times e atletas aos terríveis acidentes naturais que esperamos no último mês. Comentários segregadores como esses demonstram uma infeliz falta de respeito com a NFL, nosso grande esporte e todos os nossos jogadores, e uma falha ao entender a esmagadora força do bem que nossos times e atletas representam em nossa comunidade'.