Silvânia Costa

Silvânia Costa voltou a quebrar recorde mundial do salto em distância (Foto: Comitê Paralímpico Brasileiro)

RADAR/LANCE!
17/07/2016
13:54
São Paulo (SP)

Silvânia Costa fechou a segunda edição do Circuito Loterias Caixa da melhor forma possível. Em evento realizado em São Paulo, assim como na primeira etapa, no CT Paralímpico Brasileiro, a atleta quebrou outra vez o recorde mundial do salto em distância classe T11 (cego total).

Nesta terça-feira (19), o Comitê Paralímpico Brasileiro anunciará a convocação oficial para a Rio-2016 e essa marca pode ajudar Silvânia ainda mais na hora de conquistar a vaga.

Silvânia venceu a disputa com 5,46m - 12 centímetros a mais do que o antigo salto, que ela havia conseguido em junho, na capital paulista. Ela tem 29 anos e se isolou ainda mais na liderança do ranking mundial da prova.

Phelipe Rodrigues
Phelipe Rodrigues chegou na frente no masculino (Foto: Comitê Paralímpico Brasileiro)

Na natação, o segundo e último dia de disputas na piscina do CT foi marcado por mais recordes brasileiros. Para os Jogos Paralímpicos, a comissão técnica estabeleceu 32 vagas, sendo 19 homens e 13 mulheres na modalidade.

Na prova de 100m feminino, Patricia Pereira (S4) quebrou mais uma vez o recorde brasileiro nos 50m livre, com 1min46s86. Também nos 100m, Eric Gomes (S1) bateu seu quarto recorde brasileiro na competição, com 4min41s65. Ele já havia quebrado recordes nos 50m e 200m livre, e 50m costas. Thomaz Matera (S12) também estabeleceu nova melhor marca do país com 57s60.

Nos 100m livres masculino, a disputa foi acirrada. Phelipe Rodrigues e Andre Brasil, da classe S10, duelaram até os últimos metros. Melhor para Phelipe, que chegou à frente com, 53s26.

Márcia Menezes
Márcia Menezes já está classificada para os Jogos Paralímpicos (Foto: Comitê Paralímpico Brasileiro)

Márcia Menezes, atleta de Halterofilismo classificada para os Jogos Paralímpicos, ficou com a medalha de ouro entre as atletas do peso pesado (unificado até 79kg e até 86kg), com 112kg na barra. Nem tudo foi alegria. A tentativa para quebra de recorde brasileiro, com 118kg, não foi validada pelos árbitros.

Além dela, subiram ao pódio Josilene Ferreira, com 100kg, e Elizete Araújo, com 85kg. Na divisão até 73kg, Amanda Souza (80kg), Ana Lúcia Pandolfi (54kg) e Maria Rita Oliveira (42kg) formaram o pódio. No masculino, o chileno Cristian Mora (175kg), Giliard Chud (165kg) e Sidnei Gomes (141kg) foram os premiados na divisão até 107kg. Entre os atletas com mais de 107kg, o campeão foi Christian Porteiro, com 165kg, e o medalhista de prata foi Maikon Pessoa, com 150kg.