LANCE!
12/01/2016
09:55
São Paulo (SP)

O wild card da NFL provou aos torcedores que nem sempre jogar em casa é um trunfo tão grande. Mas, e nas semifinais de Conferência? O mando de campo faz a diferença ou as zebras podem voltar a aprontar nesse fim de semana?

Pelo lado da Conferência Americana (AFC), Denver Broncos (1º) e New England Patriots (2º) apenas aguardavam a definição de seus adversários na repescagem. E isso aconteceu logo no sábado. 

O time de melhor campanha da AFC encara o sempre forte Pittsburgh Steelers, maior campeão da história do Super Bowl, com seis troféus. Já os atuais campeões terão pela frente o embalado Kansas City Chiefs, do kicker brasileiro Cairo Santos. No wild card, os times eliminaram Cincinnati Bengals e Houston Texans, respectivamente, atuando fora de seus domínios.

Mas o lado da Conferência Nacional (NFC) deve apresentar um equilíbrio ainda maior. O Carolina Panthers (1º) terá pela frente uma equipe finalista do Super Bowl nas duas últimas temproadas, o Seattle Seahawks, que despachou o Minnesota Vikings, fora de casa, no último domingo.

Já o Arizona Cardinals (2º) encara um time que, apesar de não estar jogando sua melhor temporada, tem uma das camisas mais "pesadas" de toda a liga, o Green Bay Packers, que eliminou o Washington Redskins, também fora de casa.

Mas, e agora? Quem fica com a vaga para decidir os representantes no Super Bowl 50 nessa temporada? O LANCE! tenta "destrinchar" os confrontos para você em uma análise dos próximos quatro jogos da NFL. Confira abaixo:

Semifinal da AFC:

New England Patriots (1º) x Kansas City Chiefs (5º) - Sábado, às 19h35

Tom Brady
Tom Brady é um dos melhores da história (Foto: Mike Ehrmann/AFP)

Os atuais campeões da NFL terão uma pedreira para se manterem vivos nos playoffs. Em baixa após alguns resultados ruins no fim da temporada regular, o New England Patriots teve uma semana de folga na primeira rodada, que pode servir para recuperar os jogadores que retornaram recentemente de lesão.

Com Tom Brady inspirado, e Rob Gronkowski e Julian Edelman saudáveis, o Patriots é uma força a ser reconhecida na NFL, e devem engrossar o jogo para uma das "zebras" da temporada.

Justin Houston
Mas o #50, Justin Houston, machuca quarterbacks... (Foto: AFP)

Já o Kansas City Chiefs é, possivelmente, o time mais quente da liga atualmente. Após começar o ano de maneira fraca, o time de Cairo Santos já venceu 11 partidas seguidas, e vem com tudo para desbancar os campeões.

O quarterback Alex Smith vem se tornando a cada dia que passa melhor na armação de sua linha ofensiva e, mesmo sem o running back Jamal Charles, uma das maiores estrelas da NFL, o ataque vem sobrevivendo com o bom momento de Jeremy Maclin. Justin Houston, por sua vez, segue sendo uma máquina de sacks, e pode machucar Brady e sua linha.

Opinião do LANCE!:

Felipe Domingues (repórter) - "É um confronto entre história e momento. Enquanto o Patriots joga com sua camisa e aposta no brilhantismo de Brady, o Kansas City tenta manter o embalo das vitórias. Na minha opinião, a abertura das semifinais será com uma zebra: passa o Chiefs.".

Rafael Valesi (editor) - "O Chiefs tem tudo para dar trabalho, mas quem sairá com a vitória será o Patriots. Joga em casa e tem um quarterback mais talentoso."

Thiago Perdigão (editor) - "Patriots começou com tudo, mas sofreu muito com as lesões sobretudo no ataque. Já não tem a mesma força do início da temporada, mas é um time campeão e muito experiente. O Chiefs tem uma grande sequência de vitórias e tem jogado bem. Será um duelo equilibrado, mas aposto no Patriots. Só pela experiência nesse tipo de duelo."


Denver Broncos (1º) x Pittsburgh Steelers (6º) - Domingo, às 19h40

Peyton Manning
Peyton Manning pode fazer sua última partida na NFL (Foto: AFP)

O Denver Broncos é, provavelmente, a maior incógnita dos playoffs. O time começou a temporada com Peyton Manning como quarterback, e fracas atuações. Então, com a lesão do astro, Brock Osweiler assumiu a posição, e a equipe passou a engrenar. Mas quem jogará na semifinal?

A franquia de Colorado já confirmou Manning na armação do time, mas a dúvida é qual jogador atuará: a lenda do esporte ou o cansado jogador do início da temporada? Se ele estiver bem, o ataque se movimenta da mesma forma, com o running back C.J. Anderson servindo de válvula de escape e Dermaryus Thomas sendo a principal força no ataque.

Antonio Brown
Antonio Brown tenta se recuperar à tempo para o jogo (Foto: AFP)

O Pittsburgh Steelers chegou à semifinal da Conferência Americana aos trancos e barrancos. Após entrar na última rodada da temporada regular praticamente eliminado, o time venceu, viu o New York Jets perder e se garantiu no wild card "na bacia das almas". Na repescagem, conseguiu uma vitória nos segundos finais, contra um Cincinnati Bengals fraco emocionalmente.

Mas, ninguém pode descartar o Steelers, e, principalmente, seu quarterback Ben Roethlisberger. O time mostrou ter uma saída para a lesão de seus dois principais running backs, com a grata surpresa Fitzgerald Toussaint, enquanto o wide receiver Antonio Brown segue dando uma aula em seus rivais na NFL.

Opinião do LANCE!:

Felipe Domingues (repórter) - "Esse é um jogo que responde a pergunta: camisa pesa? Enquanto o Steelers tem uma fraca defesa e um bom ataque, o Broncos tem uma boa defesa e um ataque ruim. Mas, jogar na altitude de Colorado, que favorece o quarterback com braço mais preciso pode ajudar o Pittsburgh. Aposto em uma segunda zebra nos playoffs".

Rafael Valesi (editor) - "Denver sairá com a vitória, no que pode ser o último triunfo do quarterback Peyton Manning em playoffs"

Thiago Perdigão (editor) - "O Steelers virou contra um rival e está em alta. Moral nessa época costuma significar vitórias. Ben Roethlisberger e Antonio Brown tiveram contusões importantes contra o Bengals e o ataque do time depende muito deles. Broncos fez a melhor campanha da AFC mesmo com quarterback reserva e muitos problemas. Tem a melhor defesa da NFL e Peyton Manning descansado. Está na frente."


Semifinal da NFC:

Arizona Cardinals (2º) x Green Bay Packers (5º) - Sábado, às 23h15

Larry Fitzgerald
Larry Fitzgerald vem brilhando na temporada (Foto: Norm Hall/AFP)

Quem ainda duvida do Arizona Cardinals? O time foi tratado com desconfiança durante toda a temporada, apesar de jogar o melhor futebol de toda a liga. Mas, a falta de vitórias em pós-temporada e a falta de títulos de Super Bowl foram sempre um empecilho nas análises da franquia de Phoenix.

Porém, com o quarterback Carson Palmer no melhor momento de sua carreira, e a sintonia fina com o wide receiver Larry Fitzgerald, o Arizona se torna uma das equipes a serem batidas na reta final do campeonato. Ainda mais depois da surra aplicada sobre o Green Bay na penúltima semana da temporada regular, vencendo por 38 a 8.

Aaron Rodgers
Aaron Rodgers é uma estrela solitária em Green Bay (Foto: AFP)

Outro caso de uma camisa pesada nos playoffs da NFL. O Packers passou a temporada inteira lidando com altos e baixos em seu jogo e, principalmente, com a falta de saúde de Aaron Rodgers. Com uma linha ofensiva fraca, o quarterback apanhou muito durante todo o ano.

Mas, no duelo de wild card contra um embalado Washington Redskins, o Green Bay fez a sua melhor partida da temporada, contando com Rodgers inspirado, o running back Eddie Lacy correndo bem, e a defesa engolindo o rival Kirk Cousins. Agora, o Packers coloca seus quatro títulos na mesa, contra um dos times mais inspirados dos últimos tempos.

Opinião do LANCE!:

Felipe Domingues (repórter) - "Esse parece ser o jogo mais desigual dos playoffs. De um lado, uma equipe muito bem formada, com um ataque fortíssimo. Do outro, retalhos de um time e relances do brilho solitário de Aaron Rodgers. Se jogar o mesmo que apresentou no wild card, dá Packers. Do contrário, novo atropelamento do Cardinals e a chance cada vez mais clara de ir para o Super Bowl".

Rafael Valesi (editor) - "O Arizona Cardinals deve repetir a vitória obtida sobre o Green Bay na temporada regular. Mas certamente o placar (38 a 8) não será o mesmo. O Cardinals jogará com duas semanas de descanso, enquanto o Packers, neste período, atuou pelo wild card e encara viagens para duas partidas fora de casa"

Thiago Perdigão (editor) - "Cardinals foi o melhor time da temporada regular. É bem completo. Vacilou em alguns momentos, mas foi bem consistente. Muito diferente do Packers, que teve muitos altos e baixos. Mais baixos, inclusive. Green Bay tem camisa e fez um ótimo jogo contra o Redskins, mas não é muito parâmetro, porque Washington era o mais fraco. Dá Arizona."

Carolina Panthers (1º) x Seattle Seahawks (6º) - Domingo, às 16h05

Cam Newton
Quem ainda duvida do brilho de Cam Newton? (Foto: AFP)

O Carolina Panthers é um caso curioso. Um time que perdeu apenas um jogo na temporada regular, venceu 15 vezes e, ainda assim, é contestado. A jovem franquia teve lampejos de brilhantismo em 2015, mas também venceu duelos extremamente apertados, apesar de ter um calendário mais fraco em comparação aos rivais diretos.

Mesmo assim, descartar o Panthers não é uma estratégia aconselhável... Apesar de todas as dúvidas, o quarterback Cam Newton é franco-favorito a receber o prêmio de melhor da temporada, com seu ataque de passses e corridas. Na defesa, Luke Kuechly é mortal em bloqueios e interceptações. Mesmo brilhando, o Carolina vem correndo pelas beiradas na NFL.

Richard Sherman
Mas Richard Sherman pode incomodar (Foto: Christian Petersen/AFP)

O Seattle Seahawks chegou às duas últimas disputas de Super Bowl e nunca pode ser descartado. No wild card, contou com um erro do Minnesota Vikings nos últimos segundos para passar e, se tudo tivesse acontecido de forma "normal", talvez a franquia não estivesse na semifinal.

Mas a recuperação no último quarto de jogo, marcando dez pontos sem resposta na fria cidade de Minneapolis (com temperaturas beirando os 20 graus negativos), mostraram que Russel Wilson sabe movimentar seu ataque, e a defesa do time da costa oeste ainda é a melhor da liga.

Opinião do LANCE!:

Felipe Domingues (repórter) - "Até onde vai a sorte de um campeão? Talvez o Seattle tenha a gasto de forma inteira em Minnesota, com um erro de field goal de 27 jardas do rival. A defesa do Seahawks ainda ganha jogos, mas como parar Cam Newton? Vitória do Panthers nesse duelo".

Rafael Valesi (editor) - "Tem tudo para ser um dos jogos mais disputados em toda a temporada. São dois times muito fortes em todos os setores. Palpite é vitória do Carolina"

Thiago Perdigão (editor) - "O Panthers é melhor do que muita gente acha, mas pior do que a campanha indica. Tem uma ótima defesa e um ataque que tem ido bem, mesmo com falta de grandes opções. O Seahawks é o atual bicampeão da NFC e tem um time muito forte. Defesa ótima e ataque em grande fase. É a segunda melhor equipe da NFL, só perde para o Cardinals e tem jogado muito bem, apesar do fraco desempenho contra o Vikings. Dá Seattle."

Confira dias e horários das partidas das finais de Conferência e o Super Bowl:

Domingo (24/1) - Finais de Conferência:
18h05 - Decisão da AFC
21h40 - Decisão da NFC

Domingo (7/2) - Superbowl
21h30 - Campeão da NFC x Campeão da AFC