Carlos Arthur Nuzman discursa na Assembleia da Odepa

Carlos Arthur Nuzman teve habeas corpus aceito pelo Superior Tribunal de Justiça  (Crédito: Alejandro Lifschitz)

LANCE!
19/10/2017
19:50
Rio de Janeiro (RJ)

A denúncia da última terça-feira feita pelo Ministério Público Federal (MPF) à Carlos Arthur Nuzman revelou o estilo de vida do ex-presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB). Morador do Jardim Pernambuco, um bairro de luxo do Rio de Janeiro, o cartola costumava frequentar hotéis e restaurantes de alto nível, pagando tudo em espécie. Os funcionários de sua casa também eram pagos em dinheiro vivo. 

- Documentos apreendidos na residência de Carlos Nuzman demonstram que grande parte de suas contas é paga em espécie, de modo a dificultar a constatação da disparidade entre os seus gastos mensais e os rendimentos declarados - revela a página 137 das 157 da denúncia do MPF.


Na página 145, está a relação de saque efetuados pelo cartola. No total, entre 9 de janeiro e 28 de abril, ele tirou da conta com COB, R$ 1.421.903,00.

Em depoimentos à Procuradoria de República, os funcionários pessoais do ex-presidente, como Edina dos Santos Rufino e Rogério Alves, admitiram receber valores em dinheiro. 

- Na casa trabalhavam a depoente, o cozinheiro ROGÉRIO, uma faxineira e uma passadeira, estas duas últimas não eram fixas, ou seja, eram diaristas; Que o motorista era o AFRÂNIO; Que o motorista cuidava da piscina e do jardim; Que trabalhou na casa do Jardim Pernambuco até abril de 2017; Que, após, continuou a trabalhar com Márcia Peltier no apartamento da Rua Francisco Otaviano, n. 120/401; Que o salário era de R$ 2.700,00, mas agora aumentou para R$ 3.500,00, porque trabalha sozinha; Que a secretaria de CARLOS NUZMAN, Tereza, fazia o seu pagamento em dinheiro; Que preferia assim pela facilidade, mas que hoje recebe, às vezes em dinheiro e às vezes em depósito bancário. (EDINA DOS SANTOS RUFINO – DOC n.º 36) Que trabalha na casa de CARLOS NUZMAN há treze anos; Que foi trabalhar lá por indicação da sra. Joy Garrido; Que começou trabalhando como caseiro e tinha como atribuições cuidar da piscina, limpar o 1º e o 3º andares; Que o 2º andar ficava por conta da EDNA e antes dela, outros empregados; Que com a saída da cozinheira, assumiu essa tarefa, desde 2012, aproximadamente; Que também trabalhava o motorista Afrânio, o qual passou a cuidar da piscina; Que Tereza também trabalha na casa e é secretária de CARLOS NUZMAN e de sua ex-esposa, Márcia Peltier; Que tem uma passadeira a cada duas semanas; Que Edina era quem lavava a roupa; Que hoje não tem mais motorista, porque Afrânio, assim como Edina, foi trabalhar com Márcia Peltier; Que o salário é de R$ 4.400,00 somando-se R$ 600,00 de passagem; Que o salário é recebido em dinheiro; Que o pagamento é feito pela secretária – diz a denúncia.

As declarações de imposto de renda de Nuzman, no entanto, não registram remuneração do COB ou do Comitê Rio-2016. De acordo com o dirigente de 75 anos, seu patrimônio é oriundo do recebimento de valores de pessoas físicas e do exterior. Segundo o documento, porém. 'não há explicações sobre quem efetivamente lhe remunerou'.

MPF: Nuzman pagava empregados em dinheiro vivo e fez saque milionário
Planilha com rendimentos e gastos de Nuzman Reprodução

Nuzman e Cabral se tornam réus em esquema de compra de votos

O juiz federal Marcelo Bretas - responsável pelos processos da Lava Jato no Rio de Janeiro - aceitou a nova denúncia do MPF contra Sérgio Cabral (ex-governador do Rio), Carlos Arthur Nuzman (ex-presidente do COB), Leonardo Gryner (ex-diretor de marketing e operações do COB), o empresário Arthur César de Menezes Soares Filho, conhecido como “Rei Arthur”, o presidente da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF, em inglês), Lamine Diack, e seu filho, Papa Massata Diack.