Meb Keflezighi, à direita, mais velho maratonista na Rio-2016

Veja qual é a importância de uma boa respiração na hora dos treinos (Foto: Julian Mason)

RADAR/LANCE!
20/07/2016
05:00
Rio de Janeiro (RJ) 

Em tempos de treinos para os Jogos Rio 2016 respirar adequadamente é uma tarefa fundamental para garantir bons resultados nas competições. Pois quando a respiração é realizada de forma adequada melhora o rendimento e assegura uma prática saudável e sem riscos para saúde. Em contra partida, um mau controle desse ato pode sobrecarregar o coração no trabalho de bombear sangue para o corpo.

Mas qual é a forma correta de controlar a respiração nessas ocasiões?

Segundo a otorrinolaringologista do Hospital Federal da Lagoa, Dra. Luciane Mello, o modo mais aconselhável varia de acordo com o esporte praticado e a intensidade dos movimentos.

- Nos exercícios leves, o método mais aconselhado é o tradicional, de inspirar pelo nariz e soltar pela boca, isso porque a respiração nasal aquece, umidifica, filtra o ar inspirado e melhora as trocas gasosas realizadas - destaca a especialista. Além disso, durante exercícios, em que a demanda de oxigênio é maior, quanto melhor for a qualidade do ar, mais eficaz será o trabalho dos pulmões.


Para os que praticam exercícios mais pesados, uma técnica que pode ser utilizada é a da 'Valsalva'. Esta manobra consiste em exalar ou colocar o ar para fora, mantendo o nariz fechado, assim como os lábios. Como resultado, a pressão arterial aumenta, junto com a pressão intratorácica.

- Entretanto,esta prática precisa ser moderada, não deve ser feita por amadores e sua realização deve contar a supervisão de um especialista. Já que pode causar em alguns indivíduos alterações na pressão arterial, além de colaborar para outros sintomas de mal estar como tonturas e desmaios - alerta a especialista.

Sobre a especialista: Dra. Luciane Mello é médica responsável pelo Ambulatório do Ronco e Apneia e pelo serviço de Polissonografia, ambos no Hospital Federal da Lagoa (RJ). Membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF) e da Academia Americana de Medicina do Sono. Otorrinolaringologista graduada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Especialista do Sono pela Sociedade Brasileira de Sono. Fez estágio na Universidade Stanford, na Califórnia, no setor de Sleep Surgery.