icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/08/2015
13:04

O jamaicano Usain Bolt mostrou neste domingo que continua sendo o soberano na disputa dos 100m rasos no atletismo, com o tricampeonato mundial obtido em Pequim (CHN). E é no topo que o velocista pretende ficar até se aposentar das pistas, em 2017.

Após levar seu terceiro título mundial, no estádio Ninho de Pássaro, Bolt disse que se cobra constantemente para se manter entre os melhores do mundo.

- Meu objetivo é ser o número 1 até eu me aposentar, e para isso eu estou levando a mim mesmo até o limite - falou o astro.

Bolt venceu neste domingo com a marca de 9s79, apenas um centésimo à frente do segundo colocado, o americano Justin Gatlin. O jamaicano falou que sua performance poderia ter sido melhor em Pequim.

- Eu cheguei relaxado, sem estresse, e trouxe (o ouro) para casa. Tudo se resume a correr e fazer o que é necessário. Vocês podem falar que minha corrida estava enferrujada, que eu poderia ter sido mais rápido - falou Bolt.

Astro elege prova a mais difícil de sua carreira

A vitória apertada sobre Gatlin fez Usain Bolt considerar seu título neste domingo na China uma das vitórias mais difíceis de sua carreira. O jamaicano elogiou o desempenho do adversário, e não quis entrar em polêmica sobre os casos de doping do rival - Gatlin já foi suspenso duas vezes por uso de substâncias proibidas.

- Esta foi, definitivamente, minha prova mais difícil. Eu passei por muita coisa nesta temporada, e Justin estava correndo bem e marcando bons tempos. Eu aprendi ao longo dos anos que, quando Justin Gatlin chega em um campeonato, ele sempre aparece bem. Eu sabia que, para vencer, eu tinha que fazer uma grande prova. Eu estava entre altos e baixos, então dar o meu melhor na hora certa resultou em uma grande vitória - contou a lenda.

Bolt também não quis entrar em polêmica, já que a mídia internacional vem considerando a vitória do bem contra o mal, já que o velocista nunca foi pego no doping, ao contrário do vice-campeão.

- Isto são vocês (imprensa) que escrevem. Vim aqui para aumentar meu status de lenda e para vencer. Eu nunca duvido de mim mesmo, e sei das minhas habilidades - falou Bolt.

O jamaicano Usain Bolt mostrou neste domingo que continua sendo o soberano na disputa dos 100m rasos no atletismo, com o tricampeonato mundial obtido em Pequim (CHN). E é no topo que o velocista pretende ficar até se aposentar das pistas, em 2017.

Após levar seu terceiro título mundial, no estádio Ninho de Pássaro, Bolt disse que se cobra constantemente para se manter entre os melhores do mundo.

- Meu objetivo é ser o número 1 até eu me aposentar, e para isso eu estou levando a mim mesmo até o limite - falou o astro.

Bolt venceu neste domingo com a marca de 9s79, apenas um centésimo à frente do segundo colocado, o americano Justin Gatlin. O jamaicano falou que sua performance poderia ter sido melhor em Pequim.

- Eu cheguei relaxado, sem estresse, e trouxe (o ouro) para casa. Tudo se resume a correr e fazer o que é necessário. Vocês podem falar que minha corrida estava enferrujada, que eu poderia ter sido mais rápido - falou Bolt.

Astro elege prova a mais difícil de sua carreira

A vitória apertada sobre Gatlin fez Usain Bolt considerar seu título neste domingo na China uma das vitórias mais difíceis de sua carreira. O jamaicano elogiou o desempenho do adversário, e não quis entrar em polêmica sobre os casos de doping do rival - Gatlin já foi suspenso duas vezes por uso de substâncias proibidas.

- Esta foi, definitivamente, minha prova mais difícil. Eu passei por muita coisa nesta temporada, e Justin estava correndo bem e marcando bons tempos. Eu aprendi ao longo dos anos que, quando Justin Gatlin chega em um campeonato, ele sempre aparece bem. Eu sabia que, para vencer, eu tinha que fazer uma grande prova. Eu estava entre altos e baixos, então dar o meu melhor na hora certa resultou em uma grande vitória - contou a lenda.

Bolt também não quis entrar em polêmica, já que a mídia internacional vem considerando a vitória do bem contra o mal, já que o velocista nunca foi pego no doping, ao contrário do vice-campeão.

- Isto são vocês (imprensa) que escrevem. Vim aqui para aumentar meu status de lenda e para vencer. Eu nunca duvido de mim mesmo, e sei das minhas habilidades - falou Bolt.