Equipe brasileira de bobsled 4 man

Divulgação/COB

LANCE!
25/02/2018
15:28
PyeongChang (COR)

A participação do Brasil nos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang chegou ao fim na noite de sábado. Coube ao time de bobsled 4-man representar o país pela última vez na Coreia do Sul e, de quebra, conseguir uma marca inédita.

O quarteto formado por Edson Bindilatti, Edson Martins, Odirlei Pessoni e Rafael Souza não chegou à bateria final, mas terminou a prova na 23ª colocação, melhor posição do país na modalidade. A marca anterior era a 25ª colocação em Turim 2006. O trenó nacional ficou à frente ainda da China, Itália, Croácia e dos atletas olímpicos da Rússia.

- Hoje nós mostramos que estamos evoluindo. Com essa colocação inédita, conseguimos provar que somos capazes de fazer um bom resultado, superando equipes tradicionais no bobsled mundial. Mesmo sem ter neve, os esportes de inverno estão evoluindo a cada dia no Brasil, mostrando que temos potencial - afirmou Odirlei Pessoni.

Alemanha, potência na modalidade, conquistou o ouro, com o tempo de 3min15s85 após quatro descidas. A medalha de prata foi compartilhada pela segunda equipe da Alemanha e pela Coreia do Sul. As duas terminaram as quatro descidas com o mesmo tempo total (3min16s68). Pelo empate na prata, não houve medalhista de bronze.

– O saldo dos Jogos é positivo, com certeza. Fomos competitivos. E conseguimos ter de forma mais clara o que devemos fazer nos próximos passos. Em março, temos Mundial de Patinação Artística e treinamento do bobsled em Lake Placid, nos Estados Unidos. Além dessas duas modalidades, desenvolvemos projetos específicos para os demais esportes de gelo, com o intuito de evoluir ao longo dos próximos quatro anos – afirmou Matheus Figueiredo, presidente da Confederação Brasileira de Desportos no Gelo (CBDG).