Jorge Luiz Saez

Jorge Saez realizou também diversas mudanças no basquete da Espanha (Foto: Divulgação/FEB)

Marcelo Laguna
21/11/2016
07:05
São Paulo (SP)

Antes de ser suspensa de competições internacionais por parte da Fiba (Federação Internacional de Basquete), na última segunda-feira, a CBB (Confederação Brasileira de Basquete) foi aconselhada a fazer profundas mudanças em seu estatuto e criar melhores condições para o basquete feminino do país. A análise fez parte de um relatório produzido pelo espanhol Jorge Luiz Saez, enviado da Fiba ao país. Diante da situação caótica administrativa e financeira da entidade brasileira, a suspensão provisória foi anunciada e deve permanecer até janeiro de 2017.

O LANCE! ouviu pessoas ligadas ao basquete brasileiro que tiveram acesso às recomendações de Saez, ex-presidente da Federação Espanhola. A impressão deixada por suas propostas do espanhol foi bem positiva, segundo eles.
A principal sugestão é de uma reforma profunda no estatuto da CBB, que afetaria o formato das eleições. Na Espanha, Saez comandou  mudança semelhante, que tirou parte do poder dos clubes nas eleições, ampliando o direito a votos para atletas, técnicos e árbitros.

– A conversa com a Fiba foi boa, focada em gestão e soluções. Eles têm um retrato perfeito da situação. Mostraram como as coisas precisam ser geridas, com uma nova entidade. Mas dificilmente a legislação permitiria – disse um dos interlocutores do enviado da Fiba.

Saez também detectou uma grande falha na gestão da CBB em relação ao basquete feminino. Segundo ele, que na Espanha criou projeto chamado “Universo Mujer”, que vem trazendo bons resultados em todas as categorias, o Brasil é o único país do mundo com dois ícones fortes no feminino (Hortência e Paula) e precisa saber explorar isso.

A CBB ainda não se pronunciou oficialmente a respeito da punição da Fiba. Para sair da crise, a entidade poderá sofrer uma intervenção do COB (Comitê Olímpico do Brasil), com anuência da Fiba, conforme o LANCE! publicou neste sábado. Uma definição a este respeito poderá acontecer esta semana, com a volta ao país de Carlos Nuzman, presidente do COB.

Saez é acusado na Espanha

Apesar de elogiado pelas propostas para a CBB, Jorge Luiz Saez sofre com denúncias sobre sua gestão na federação espanhola (FEB). Segundo o site Espn.com, sob o comando de Saez, a diretoria da FEB gastou mais de R$ 2,5 milhões em restaurantes, durante os anos de de 2004 e 2016. A empresa de auditoria BDO analisou os balanços da FEB e diz que os gastos foram autorizados sem que a finalidade fosse conhecida.