icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
26/08/2015
16:07

Buscando o bicampeonato do Desafio Piraquê Raia Rápida, os Estados Unidos apresentam sua equipe para a edição de 2015 com uma estreia: o nadador Giles Smith, atual campeão pan-americano dos 100m borboleta e medalha de prata no 4x100m medley em Toronto-2015. Ele se junta a David Plummer (costas), Anthony Ervin (livre) e Mike Alexandrov (peito) para a disputa da competição, que acontece no dia 13 de setembro, na piscina do Mourisco Mar, em Botafogo.

- Será uma competição dura, já que o Brasil sempre nada forte em casa. Creio que a modalidade mais difícil será peito, pois haverá muito talento na piscina durante a disputa. Estou muito feliz de ter a oportunidade de competir no Rio de Janeiro novamente. É um privilégio competir contra os melhores nadadores do mundo, além de poder aproveitar um tempo na bela cidade do Rio - declarou Plummer, de 29 anos, que estreou no Desafio na edição do ano passado.

Único novato da equipe americana, Giles Smith, é o mais jovem do time, com 23 anos. Além do talento nas piscinas, ele espera promover a diversidade no esporte, tendo em vista que é um dos poucos negros da elite na natação americana. O estudante de jornalismo na Universidade do Arizona mesclará sua juventude com a experiência dos outros atletas. Um dos grandes nomes que nadará ao lado de Giles no Desafio Piraquê Raia Rápida é o experiente Anthony Ervin, de 34 anos, único medalhista olímpico de 2000 a continuar em atividade.

- Comecei a nadar quando criança, para ter segurança na água. Estou treinando diariamente, dentro e fora piscina, de olho em uma vaga nas Olimpíadas do ano que vem. Sou fã do time de futebol do Brasil e creio que a equipe brasileira será o adversário mais forte no Desafio - declarou o experiente nadador, que já foi capitão da equipe americana em Mundiais de natação.

A competição segue com o mesmo formato das últimas edições, com provas rápidas e emocionantes em 50m nos quatro estilos (borboleta, costas, livre e peito), além de um revezamento 4x50m medley. Acontecendo apenas algumas semanas após o Mundial de Kazan, na Rússia, o Desafio tem um gostinho de prévia dos Jogos Olímpicos de 2016, a ser realizado no Rio de Janeiro.

Buscando o bicampeonato do Desafio Piraquê Raia Rápida, os Estados Unidos apresentam sua equipe para a edição de 2015 com uma estreia: o nadador Giles Smith, atual campeão pan-americano dos 100m borboleta e medalha de prata no 4x100m medley em Toronto-2015. Ele se junta a David Plummer (costas), Anthony Ervin (livre) e Mike Alexandrov (peito) para a disputa da competição, que acontece no dia 13 de setembro, na piscina do Mourisco Mar, em Botafogo.

- Será uma competição dura, já que o Brasil sempre nada forte em casa. Creio que a modalidade mais difícil será peito, pois haverá muito talento na piscina durante a disputa. Estou muito feliz de ter a oportunidade de competir no Rio de Janeiro novamente. É um privilégio competir contra os melhores nadadores do mundo, além de poder aproveitar um tempo na bela cidade do Rio - declarou Plummer, de 29 anos, que estreou no Desafio na edição do ano passado.

Único novato da equipe americana, Giles Smith, é o mais jovem do time, com 23 anos. Além do talento nas piscinas, ele espera promover a diversidade no esporte, tendo em vista que é um dos poucos negros da elite na natação americana. O estudante de jornalismo na Universidade do Arizona mesclará sua juventude com a experiência dos outros atletas. Um dos grandes nomes que nadará ao lado de Giles no Desafio Piraquê Raia Rápida é o experiente Anthony Ervin, de 34 anos, único medalhista olímpico de 2000 a continuar em atividade.

- Comecei a nadar quando criança, para ter segurança na água. Estou treinando diariamente, dentro e fora piscina, de olho em uma vaga nas Olimpíadas do ano que vem. Sou fã do time de futebol do Brasil e creio que a equipe brasileira será o adversário mais forte no Desafio - declarou o experiente nadador, que já foi capitão da equipe americana em Mundiais de natação.

A competição segue com o mesmo formato das últimas edições, com provas rápidas e emocionantes em 50m nos quatro estilos (borboleta, costas, livre e peito), além de um revezamento 4x50m medley. Acontecendo apenas algumas semanas após o Mundial de Kazan, na Rússia, o Desafio tem um gostinho de prévia dos Jogos Olímpicos de 2016, a ser realizado no Rio de Janeiro.