Maior medalhista da história da natação, Daniel Dias comemora seu desempenho em umas das nove provas que disputou no Rio 2016

Daniel Dias levou oito medalhas da última edição do Mundial de natação (Foto: Cleber Mendes/MPIX/CPB)

LANCE!
03/10/2017
13:33
São Paulo (SP)

O Comitê Paralímpico Internacional (IPC, em inglês) anunciou nesta terça-feira que os Mundiais Paralímpicos de natação e de haterofilismo, adiados por causa do terremoto na Cidade do México, foram remarcados. Os dois campeonatos serão realizados de 27 de novembro a 7 de dezembro, na capital mexicana.

A decisão de reagendar os dois eventos foi tomada depois de um extensivo diálogo, de consultas com os membros do IPC e de garantias do Comitê Organizador local. Cerca de 1.400 atletas, oficiais e estafes participariam dos campeonatos, agendados originalmente de 30 de setembro a seis de outubro, na piscina olímpica Francisco Marquez e no ginásio olímpico Juan de La Barrera. Com as novas datas, os Comitês Paralímpicos nacionais têm até oito de outubro para confirmar participação.

O Brasil garantiu presença e manterá as equipes previamente convocadas para as duas modalidades.

- Vamos reconvocar todos os atletas e reorganizar a nossa logística para as duas competições - disse Jonas Freire, diretor técnico adjunto do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

- Depois de um extensivo diálogo, está claro que tanto o Comitê Organizador Local quanto a Cidade do México estão ansiosos e animados com a remarcação das competições. Eles querem mostrar ao mundo que o México está aberto e que a vida e os negócios continuam. Ao mesmo tempo, o retorno que tivemos dos membros do IPC é de que eles estão dispostos a levarem os campeonatos a frente. Depois de confirmar todos os procedimentos de segurança nas arenas de competição, nos hotéis e em toda a infraestrutura relacionada, nós decidimos reagendar os Mundiais para dois meses depois do planejado anteriormente - afirmou Andrew Parsons, presidente do IPC.

As arenas de competição não sofreram danos com os terremotos. Após as catástrofes na Cidade do México, o IPC e a Fundação Agitos lançaram uma campanha global para arrecadar fundos e ajudar a UNICEF no México. Até agora, foram angariados 40 mil doláres.