icons.title signature.placeholder Jonas Moura
icons.title signature.placeholder Jonas Moura
25/08/2015
12:13

A NBA e o Flamengo apresentaram nesta terça-feira, no Rio de Janeiro, a partida que vai marcar o reencontro entre Orlando Magic e o Rubro-Negro, no dia 17 de outubro, na HSBC Arena, válida pela pré-temporada da liga americana. Se no ano passado os brasileiros voltaram frustrados ao país, o que não falta agora é expectativa por uma história diferente dentro de casa. É o que promete o ala-armador Marcelinho Machado.

As equipes mediram forças em outubro de 2014, quando o Orlando levou a melhor por 106 a 88, no Amway Center, em Orlando (EUA). A primeira experiência na liga americana significou um peso nas costas, e os brasileiros não conseguiram desempenhar seu melhor jogo na série de três confrontos (o Fla também enfrentou Memphis Grizzlies e Phoenix Suns e perdeu).

– A expectativa é de entrar para vencer. Nossa torcida vai comparecer, e isso vai potencializar nossas forças dentro da quadra. Quando fomos jogar lá, era a primeira vez. Fizemos jogos disputados contra Orlando e Phoenix, mas contra Memphis não atuamos bem. Agora, já sabemos como é, embora nosso time tenha passado por algumas mudanças. Mas o importante é que continuamos competitivos – disse Marcelinho, de 40 anos. 

Esta será a primeira vez que a NBA realizará uma partida envolvendo um time brasileiro por aqui. No ano passado, o NBA Global Games desembarcou no Rio com a vitória do Cleveland Cavaliers sobre o Miami Heat. Em 2013, Chicago Bulls venceu o Washington Wizards, no duelo inaugural da liga no Brasil.

– Vai ser um jogo inédito aqui. Hoje, sabemos que nosso basquete tem qualidade para enfrentar qualquer time do mundo. Ano passado, foi um momento único, e agora será diferente de qualquer outra partida. Teremos uma torcida apaixonada, que nenhuma equipe do mundo tem – afirmou o diretor executivo da NBA no Brasil, Arnon de Mello. 

A venda do segundo lote de ingressos começa na manhã desta quarta-feira, pelo site www.tudus.com.br. Os preços variam de R$ 80 a R$ 600, mas haverá comercialização de meia-entrada.

A NBA e o Flamengo apresentaram nesta terça-feira, no Rio de Janeiro, a partida que vai marcar o reencontro entre Orlando Magic e o Rubro-Negro, no dia 17 de outubro, na HSBC Arena, válida pela pré-temporada da liga americana. Se no ano passado os brasileiros voltaram frustrados ao país, o que não falta agora é expectativa por uma história diferente dentro de casa. É o que promete o ala-armador Marcelinho Machado.

As equipes mediram forças em outubro de 2014, quando o Orlando levou a melhor por 106 a 88, no Amway Center, em Orlando (EUA). A primeira experiência na liga americana significou um peso nas costas, e os brasileiros não conseguiram desempenhar seu melhor jogo na série de três confrontos (o Fla também enfrentou Memphis Grizzlies e Phoenix Suns e perdeu).

– A expectativa é de entrar para vencer. Nossa torcida vai comparecer, e isso vai potencializar nossas forças dentro da quadra. Quando fomos jogar lá, era a primeira vez. Fizemos jogos disputados contra Orlando e Phoenix, mas contra Memphis não atuamos bem. Agora, já sabemos como é, embora nosso time tenha passado por algumas mudanças. Mas o importante é que continuamos competitivos – disse Marcelinho, de 40 anos. 

Esta será a primeira vez que a NBA realizará uma partida envolvendo um time brasileiro por aqui. No ano passado, o NBA Global Games desembarcou no Rio com a vitória do Cleveland Cavaliers sobre o Miami Heat. Em 2013, Chicago Bulls venceu o Washington Wizards, no duelo inaugural da liga no Brasil.

– Vai ser um jogo inédito aqui. Hoje, sabemos que nosso basquete tem qualidade para enfrentar qualquer time do mundo. Ano passado, foi um momento único, e agora será diferente de qualquer outra partida. Teremos uma torcida apaixonada, que nenhuma equipe do mundo tem – afirmou o diretor executivo da NBA no Brasil, Arnon de Mello. 

A venda do segundo lote de ingressos começa na manhã desta quarta-feira, pelo site www.tudus.com.br. Os preços variam de R$ 80 a R$ 600, mas haverá comercialização de meia-entrada.