Lucas Bebê - Toronto Raptors

Lucas Bebê não disputou os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro pelo Brasil (Foto: Reprodução/Facebook)

Guilherme Cardoso
08/10/2016
07:05
São Paulo (SP)

As críticas pela ausência no grupo da Seleção Brasileira para a disputa dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em agosto, ainda não foram digeridas pelo pivô Lucas Bebê. O atleta preferiu não participar da Olimpíada para fazer uma melhor preparação no Toronto Raptors. O então técnico do Brasil, Rubén Magnano, chegou a criticar o jogador e outros brasileiros, como Cristiano Felício e Bruno Caboclo. O curioso é que Felício foi convocado depois para a vaga do lesionado Anderson Varejão.

– Queria muito ter participado da Olimpíada, ainda mais em meu país. Infelizmente, não ocorreu do jeito que eu queria. Se criou um desgaste entre eu e a confederação por não ter conseguido me apresentar. É difícil ser crucificado por algo que você não fez. Participei de todas as equipes de base da minha geração. Não é nada pessoal contra a Seleção. Mas quando você está nas primeiras temporadas na NBA, é muito treino, não tem o direito de escolher. Para mim, na época, o melhor era brigar por vaga na liga para conseguir assinar outro contrato – avaliou o pivô.

Ausente dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Lucas Bebê usou o verão no hemisfério norte para intensificar os treinamentos e focar a próxima temporada da NBA, que começa no dia 25 de outubro. O jogador tem visto bons resultados em sua escolha.

–  Estou cumprindo as expectativas. Tive um período de treinamento muito saudável. Nos últimos anos, me machuquei muito. As pessoas gostaram muito do que viram nesses jogos da pré-temporada, tanto do lado defensivo como ofensivo – explicou o atleta.

Se a Rio-2016 foi deixada de lado por conta da NBA, o pivô brasileiro parece não ter o mesmo pensamento para a próxima Olimpíada. A meta é estar em quadra pela Seleção Brasileira em Tóquio-2020.

– Tenho planos de defender o Brasil em Tóquio. É um a geração forte, que tem tudo para dar certo. A Seleção tem tudo para conseguir uma vaga nessa Olimpíada – avaliou Lucas Bebê.