2012 (Londres-GBR):  Felipe Kitadai(-60kg, bronze)

Felipe Kitadai foi bronze em Londres-2012 (Foto: AFP PHOTO / FRANCK FIFE)

LANCE!
26/11/2016
13:56
São Paulo

A Confederação Brasileira de Judô (CBJ) convocou 18 atletas que participarão do Grand Slam de Tóquio, segunda grande competição depois da Rio-2016. A escolha demonstra que a CBJ dará continuidade ao trabalho alinhado entre o alto rendimento e as equipes de base. Além de nomes olímpicos como Felipe Kitadai (60kg) e Alex Pombo (73kg), a lista conta com atletas muito jovens como Daniel Cargnin (66kg), de 18 anos, e Michael Marcelino (60kg), de apenas 17 anos, ambos medalhistas de bronze em Mundiais de Base em 2015.

- Não me sinto pressionado com o nível da competição e dos atletas que estarão competindo. Vejo como uma grande oportunidade de competir com os melhores nomes da minha categoria. Não esperava ser convocado para uma competição como essa. Era um sonho que estou realizando - disse Marcelino.

Além dos quatro, a equipe masculina será composta ainda por Eduardo Katsuhiro Barbosa (73kg), Rafael Macedo (81kg), Eduardo Bettoni (90kg), Leonardo Gonçalves (100kg) e João Marcos Cesarino (+100kg).

No feminino, nomes conhecidos como Raquel Silva (52kg), Tamires Crude (57kg), Danielle Karla Oliveira (63kg), Bárbara Timo (70kg), Nádia Merli (70kg) e Rochele Nunes (+78kg) se juntam às novatas Larissa Farias (48kg), Yanka Pascoalino (63kg) e Camila Gebara Nogueira (+78kg).

- É mais um passo nesse processo de aprimoramento da transição desses jovens do Sub 18 e Sub 21 para o Sênior. Vão experimentar a sensação de disputar uma das competições de mais alto nível do Circuito Mundial e também o próprio ambiente da seleção. Vai dar até pra sentir um gostinho do que poderá ser representar o Brasil nos Jogos Tóquio 2020 - disse Ney Wilson, gestor de Alto Rendimento da CBJ.

O Grand Slam é uma das etapas do Circuito Mundial que mais distribuem pontos no Ranking Mundial da Federação Internacional do Judô (FIJ). O campeão soma 500 pontos, o vice leva 300 e os terceiros, 200 cada. A pontuação deste ano em Tóquio será zerada até os Jogos Olímpicos, em 2020, mas são importantes porque é o ranking mundial que define os cabeças-de-chave das próximas competições do Circuito. Sair melhor colocado na chave em uma competição difícil pode ser o diferencial para galgar degraus mais altos no Ranking Mundial. Quanto antes começarem a pontuar, em teoria, mais facilidade encontrarão nos últimos anos do ciclo olímpico.

- O segundo semestre de 2016 tem trazido um grande conhecimento e experiência para as Equipes de Base. Essas ações em conjunto estão sendo aprimoradas a cada novo evento e, com certeza, isso se reflete no trabalho que está sendo realizado com os atletas. Estamos buscando construir um caminho sólido para esses jovens - disse Marcelo Thetônio, gestor das equipes de base.

Confira abaixo a lista dos convocados

Feminino
Larissa Farias (48kg/FJERJ/Instituto Reação)
Raquel Silva (52kg/FJERJ/Instituto Reação)
Tamires Crude (57kg/FJERJ/Instituto Reação)
Yanka Pascoalino (63kg/FPJUDO/E.C. Pinheiros)
Danielle Karla Oliveira (63kg/FJERJ/C.R. Flamengo)
Bárbara Timo (70kg/FJERJ/C.R. Flamengo)
Nádia Merli (70kg/FPJUDO/E.C. Pinheiros)
Rochele Nunes (+78kg/FGJ/Sogipa)
Camila Gebara Nogueira (+78kg/FJMS/Sakurá)

Masculino
Felipe Kitadai (60kg/FGJ/Sogipa)
Michael Marcelino (60kg/FPJUDO/Sesi-SP)
Daniel Cargnin (66kg/FGJ/Sogipa)
Alex Pombo (73kg/FMJ/Minas Tênis Clube)
Eduardo Katsuhiro Barbosa (73kg/FPJUDO/Ass. Vila Sônia)
Rafael Macedo (81kg/FGJ/Sogipa)
Eduardo Bettoni (90kg/FMJ/Minas Tênis Clube)
Leonardo Gonçalves (100kg/FGJ/Sogipa)
João Marcos Cesarino (+100kg/FGJ/Sogipa)