David Moura ficou com a medalha de ouro no Aberto de judô de Sofia, na Bulgária (Foto: Divulgação)

David Moura ficou com a medalha de ouro no Aberto de judô de Sofia, na Bulgária (Foto: Divulgação)

LANCE!
31/01/2016
20:23
São Paulo (SP)

A briga pela vaga na Olimpíada do Rio no judô na categoria pesado ganhou novos contornos neste domingo. David Moura, brasileiro melhor posicionado no ranking olímpico, conquistou a medalha de ouro no Aberto de Sofia (BUL), e somou cem pontos na classificação.

Na decisão, o atleta derrotou o israelense Or Sasson, 26º no ranking olímpico, por imobilização.

Com isso, ele alcançou a 12ª colocação entre os atletas que buscam uma vaga na Rio-2016, e deixou Rafael Silva, medalhista de bronze nos Jogos de Londres-2012, na 21ª posição, 248 pontos atrás.

Os 14 representantes brasileiros na Olimpíada (sete homens e sete mulheres) serão, primeiramente, definidos por meio do ranking olímpico. Caso a distância entre os postulantes às vagas seja muito pequena, a Confederação Brasileira de Judô (CBJ) irá analisar os melhores resultados e o histórico para decidir.

A Seleção volta a luta no Grand Slam de Paris, neste fim de semana. A competição dará 500 pontos ao campeão, 300 ao vice e 200 ao terceiro lugar. Entre os atletas, estarão David Moura e Rafael Silva. Tira-teima?

Luciano Corrêa fica com a prata

Outro brasileiro a disputar o Aberto de Sofia, Luciano Corrêa ficou com a prata na categoria meio-pesado. Ele perdeu na final para Ramadan Darwish (10º no ranking olímpico), por um wazari.

Corrêa é, agora, 24º no ranking (582 pontos), contra 512 do adversário à vaga Rafael Buzacarini (26º).

BRIGA ACIRRADA
David Moura
Atual 12º no ranking olímpico, com 891 pontos, David Moura tem como maiores somatórias o vice no Grand Slam de Paris (FRA) do ano passado (200 pontos), os títulos no Pan de judô (2015) e no Aberto de Sofia (2016), que valeram 100 pontos cada, e o quinto lugar no Mundial de 2014, que lhe rendeu 90 pontos. Além disso, tem outras quatro pontuações.

Rafael Silva
Após sofrer uma lesão e ficar seis meses parado em 2015, Rafael é o 21º do ranking, com 643 pontos, e tem como principais somatórias o título no Grand Slam de Tyumen (RUS) de 2014, que rendeu 250 pontos, os vices no Pan de judô (120) e no Grand Prix de Samsun (TUR), em 2014 (90), além do bronze no Mundial de 2014, que lhe deu 180 pontos.