Bauru x Flamengo

Equilíbrio e emoção marcaram a estreia do NBB 9 (Foto: Reprodução / Twitter LNB)

RADAR/LANCE!
05/11/2016
16:43
Bauru (SP)

Atuais finalistas, Bauru e Flamengo realizaram a abertura do NBB 9. E o duelo, realizado no ginásio Panela de Pressão, foi tenso e eletrizante, conforme o prometido. No placar final, melhor para o Flamengo, atual tetracampeão, que venceu por 100 a 97, apenas no segunda prorrogação.

O destaque foi JP Batista, que contribuiu com 29 pontos e 12 rebotes. O cestinha, no entanto, foi Alex, que fez 30 pontos, mas ainda assim saiu com o revés.

Como próximo compromisso, o Bauru terá o Macaé, nesta terça-feira, novamente na cidade paulista. O Flamengo, por sua vez, visita o Franca, no mesmo dia. Ambos os jogos serão válidos pela 2ª rodada da competição.

O JOGO

O primeiro quarto começou com o Bauru mais veloz e incisivo, enquanto o Flamengo demorou a encaixar a marcação. Ainda com uma lesão muscular, Ricardo Fischer não foi utilizado contra seu ex-clube. Já Alex, destaque dos mandantes, não só jogou como foi decisivo e contribuiu para a vitória parcial de sua equipe, por 17 a 12.

No segundo período, os visitantes voltaram mais ligados e explorando com contundência a qualidade no perímetro. Além disso, imprimiu uma boa defesa e encostou no marcador, principalmente pela efetividade de JP Batista. Na ida ao vestiário, o Flamengo, contudo, saiu derrotado: 33 a 31.

Após o intervalo, a tendência se confirmou: o equilíbrio foi acentuado e os times começaram a alternar vantagem no marcador em quase todo o terceiro quarto. Se por um lado JP continuou brilhando dentro do garrafão, por outro, o Brabo chamava a responsabilidade e obtinha êxito nas infiltrações. Por fim, 61 a 58 para o Flamengo. 

Nos últimos dez minutos, pela tensão, os times pecaram em excesso nos arremessos. Empurrado pela torcida, os bauruenses se arriscaram mais e mantiveram a disputa em aberto até os últimos segundos. No fim, o "cheirinho" de prorrogação prevaleceu: 76 a 76 .

Os quase dois mil torcedores no ginásio ampararam a equipe de Demétrius Ferracciú, que foi mais segura e abriu margem logo no início da prorrogação. Os cariocas se recuperaram a tempo, reagiram e voltaram a trocação franca de cestas.

O vencedor foi conhecido apenas no segundo tempo da prorrogação, com o embate sendo disputado de forma eletrizante. Mesmo com a pressão do ginásio, que fez jus ao seu nome, o Fla saiu com o triunfo, ainda contando com um passe errado de Alex (justo ele) nos últimos segundos: 100 a 97.