Patrick Joseph Hickey - COI

Patrick Hickey foi preso na capital carioca durante os Jogos Rio-2016 (Foto: Reprodução)

LANCE!
08/08/2017
16:06
Rio de Janeiro (RJ)

Acusado de envolvimento em um esquema ilegal de venda de ingresso nas Rio-2016, o ex-executivo do Comitê Olímpico Internacional (COI) e ex-presidente do Comitê Olímpico da Irlanda, Patrick Hickey foi declarado inocente, de acordo com relatório divulgado pelo jornal "The Irish Independent".

O dirigente foi preso no dia 17 de agosto, durante os Jogos do Rio - pagando R$1,5 milhão de fiança -  sob a acusação de facilitar a ação de cambistas, marketing de emboscada e formação de quadrilha. Ele passou 10 dias detido em Bangu e teve a prisão preventiva revogada por um Habeas Corpus. Porém, seu passaporte ficou apreendido até o pagamento da fiança - realizada por um empréstimo da Associação dos Comitês Olímpicos Nacionais (ANOC).

De acordo com o jornal, o relatório de 226 páginas será divulgado no final deste mês pelo governo irlandês, inocentando Hickey. A liberação do irlandês deve-se a falta de provas. No final do ano passado, o dirigente foi autorizado pela Justiça do Rio de Janeiro a deixar o país. 

Mesmo liberado, o ex-executivo do COI não se livrou da acusação do crise que movimentou cerca de US$ 10 milhões, algo próximo de cerca de R$ 31,2 milhões. As empresas Pro10 e THG também foram acusadas de participar do esquema, assim como o Comitê Olímpico da Irlanda.