Paraquedismo e flyboard foram utilizados pela Portela para animar o público na Sapucaí (Fotos: LANCE!Press)
Carlos Eduardo Sangenetto
09/02/2016
05:09
Rio de Janeiro (RJ)

"No voo da água, uma viagem sem fim". Este foi o enredo que a Portela levou para a Marquês de Sapucaí no segundo dia de desfiles do Grupo Especial. E logo no início desta viagem do carnavalesco Paulo Barros, o público pôde ter contato com dois esportes. Esporte e Carnaval? Tudo a ver.  

O primeiro, utilizado apenas para levantar as arquibancadas, foi o paraquedismo. Paraquedistas sobrevoaram o sambódromo carioca até o grande momento: o pouso com sucesso na avenida. Vale lembrar que tal iniciativa, além de não contar pontos na briga pelo título, já tinha sido colocada em prática no ano passado.


Não demorou muito para o segundo esporte ser visto. Logo no carro abre-alas da agremiação de Oswaldo Cruz e Madureira, foi a vez do flyboard dar as caras para arrancar olhares curiosos dos foliões.

Representando o deus grego Poseidon, Claudio Matos, de 23 anos, "flutuou" em cima de uma prancha após o esguicho de jatos d'água em direção ao piso da alegoria.

O flyboard acabou sendo o esporte misterioso que Paulo Barros havia dito que apresentaria em entrevista especial ao LANCE!, publicada na última quinta-feira (relembre aqui). Com essa novidade, o artista adiciona mais uma modalidade esportiva no seu currículo na Avenida - já tinha investido no alpinismo e
esqui na Viradouro e na Unidos da Tijuca.

- Emoção demais! Não esperava que fosse assim. A torcida foi maravilhosa. Pensei que fosse infartar - comemorou Barros para reportagem do L!.

Paulo Barros vibra com desfile da Portela na Sapucaí (Foto: Carlos Alberto Vieira/LANCE!Press)
Paulo Barros vibra com desfile da Portela e acena para o público do Setor 1 da Sapucaí (Foto: Carlos Alberto Vieira/LANCE!Press)