Victor Hugo Mega, wide receiver do Corinthians Steamrollers (Foto: Reprodução / Facebook)

Victor Hugo Mega, wide receiver do Corinthians Steamrollers (Foto: Reprodução / Facebook)

Melissa Gargalis
28/05/2016
08:00
São Paulo (SP)

Neste sábado, o Corinthians Steamrollers faz seu segundo jogo no Campeonato Paulista de Futebol Americano, o São Paulo Football League. Quatro vezes campeão do torneio, o time entra em campo às 15h, no Estádio do Nacional, para enfrentar o São Caetano Blue Birds. Preparado para o desafio, Victor Hugo Mega, o wide receiver do Timão, fala sobre as expectativas para o jogo:

- Queremos fazer um bom jogo, sair de lá com a vitória. Nos preparamos o máximo possível, queremos viver a glória deste esporte aqui no Brasil - disse, em entrevista ao LANCE!

Atleta de basquete durante seis anos, o jogador é um dos destaques do Steamrollers. Na equipe do Corinthians, Victor Hugo, que é responsável por receber os lançamentos do quarterback, conta como foi a transição das quadras para o gramado.

- A mudança do basquete para o futebol americano aconteceu naturalmente. Na verdade, a dinâmica é muito parecida. Tive um pouco de dificuldade com as regras, que são mais complicadas num primeiro momento, mas do resto foi bem tranquilo - disse.

Se sua adaptação ao futebol americano foi tranquila, os adversários não podem dizer o mesmo, afinal, o apelidado de Mega surgiu através daqueles que sofreram com a característica de jogo do wide receiver corintiano.

- O pessoal começou a me chamar de Mega por causa do Calvin Johnson Megatron, da equipe do Detroit - explicou, apontando ainda mais alguns motivos das comparações com o americano que se aposentou em março, após nove anos vestindo a camisa dos Lions:

- Na verdade, foi o pessoal de um time adversário que começou a me chamar de Megatron. Eu nem sabia, estava escrito Victor na minha camisa, mas depois acabou ficando Megatron. Agora simplificaram, me chamam de Mega. Dizem que é pela semelhança física, altura e posição em campo. Acharam meu jogo parecido. Lógico que não, mas é bom ser comparado a um cara como ele - contou.

Victor Hugo Mega está entre os convocados pela Seleção Brasileira para a Copa do Mundo de Futebol Americano que será disputada em julho, nos Estados Unidos. Aos 28 anos, o atleta se diz honrado por representar o Brasil, mas faz questão de lembrar que um de seus maiores objetivos é popularizar e conseguir a profissionalização do esporte norte-americano em solo brasileiro.

- Temos que absorver o máximo possível da cultura norte-americana. Lá, eles são doutrinados, as crianças começam a jogar futebol americano com quatro, cinco anos. Aqui, tentamos absorver essa cultura com 15, 20 anos, é mais difícil. Por isso, é complicado trazer o público para o estádio - disse, complementando:

- Estamos conseguindo espaço e já levamos um bom número de pessoas para os jogos, mas o esporte ainda é amador. A maioria dos jogadores tem que conciliar o esporte com outras profissões. Particularmente, me dedico 100% ao futebol americano, mas tenho minha luta, espero que em breve consigamos ter o futebol americano como um esporte profissional no Brasil - finalizou.

Na sequência do SPFL, o Corinthians Steamrollers enfrentará a Ponte Preta Gorilas, no dia 11 de junho, pela semana três do torneio. Além das duas equipes já citadas, mais seis clubes estão na disputa. São eles: Botafogo Challengers, Palmeiras Locomotives, Ponte Preta Gorilas, São Paulo Storm, Lusa Lions e Santos Tsunami.