icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/08/2015
21:03

Terminou neste sábado o Aquece Rio Regata Internacional de Vela, evento-teste da modalidade para os Jogos de 2016, na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. Essa foi a segunda competição nos locais de prova. A primeira tinha ocorrido no ano passado.

Após o sétimo lugar na regata da medalha, o brasileiro Jorge Zarif terminou a classe Finn em nono, com 97 pontos perdidos. O título foi do britânico Giles Scott, com 44. Na última sexta-feira, Martine Grael e Kahena Kunze tinham triunfado na 49erFX e faturado a única láurea do Brasil na competição.

Apesar de os velejadores do país só terem subido ao pódio em uma categoria, a Confederação Brasileira de Vela (CBVela) fez um balanço positivo dos resultados.

- Esta medalha é um resultado representativo. Fazer cinco regatas da medalha em dez classes é um bom resultado e fica dentro do que almejamos. Queremos chegar nos Jogos Olímpicos com o maior número de classes em condição de disputar medalha - afirmou o coordenador técnico da confederação, Torben Grael.

Enquanto isso, o presidente da CBVela se mostrou satisfeito com a realização do evento. Vale lembrar que a Baía de Guanabara tem sofrido com a poluição, o que tem gerado diversas críticas de alguns competidores estrangeiros.

- O evento, enquanto teste para a Olimpíada, foi um sucesso. Todos os chefes de delegação com quem eu falei foram unânimes em parabenizar o Brasil - declarou o presidente da entidade, Marco Aurélio de Sá Ribeiro.

Terminou neste sábado o Aquece Rio Regata Internacional de Vela, evento-teste da modalidade para os Jogos de 2016, na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. Essa foi a segunda competição nos locais de prova. A primeira tinha ocorrido no ano passado.

Após o sétimo lugar na regata da medalha, o brasileiro Jorge Zarif terminou a classe Finn em nono, com 97 pontos perdidos. O título foi do britânico Giles Scott, com 44. Na última sexta-feira, Martine Grael e Kahena Kunze tinham triunfado na 49erFX e faturado a única láurea do Brasil na competição.

Apesar de os velejadores do país só terem subido ao pódio em uma categoria, a Confederação Brasileira de Vela (CBVela) fez um balanço positivo dos resultados.

- Esta medalha é um resultado representativo. Fazer cinco regatas da medalha em dez classes é um bom resultado e fica dentro do que almejamos. Queremos chegar nos Jogos Olímpicos com o maior número de classes em condição de disputar medalha - afirmou o coordenador técnico da confederação, Torben Grael.

Enquanto isso, o presidente da CBVela se mostrou satisfeito com a realização do evento. Vale lembrar que a Baía de Guanabara tem sofrido com a poluição, o que tem gerado diversas críticas de alguns competidores estrangeiros.

- O evento, enquanto teste para a Olimpíada, foi um sucesso. Todos os chefes de delegação com quem eu falei foram unânimes em parabenizar o Brasil - declarou o presidente da entidade, Marco Aurélio de Sá Ribeiro.