Brasil finaliza Pan-Americano de Ginástica Rítmica com seis medalhas conquistadas

Natália Gaudio sobe duas vezes ao pódio (dois bronzes) no último dia de competição Divulgação

LANCE!
16/10/2017
18:22
Daytona Beach (EUA)

O Brasil encerrou o Pan-Americano de ginástica rítmica em Daytona Beach, nos EUA, com mais quatro medalhas. Ao todo, as Seleções adultas ganharam seis medalhas. Depois do ouro da Seleção de conjunto e do bronze da equipe individual no último sábado, o domingo teve mais quatro conquistas para as brasileiras.

O conjunto adulto, formado por Alanis Ávila, Francielly Pereira, Gabrielle Silva, Heloísa Bornal, Jéssica Maier e Marine Vieira, subiu duas vezes ao pódio no último dia de disputas: garantiu o ouro na final das três bolas e duas cordas (17,100), deixando os Estados Unidos com a prata (16,650) e o México com o bronze (14,450), além da prata nos cinco arcos (17,400) - os EUA levaram o ouro (17,800) e o México ficou com o bronze (15,350).

- Fazendo uma retrospectiva, finalizamos o primeiro ano do ciclo olímpico com um saldo muito positivo. Apesar do conjunto ter se concentrado somente em maio, conseguimos cumprir as metas estabelecidas no nosso planejamento. Melhoramos nossa melhor classificação em Mundiais, que havia sido em Stuttgart 2015 (16º lugar), para este ano em Pesaro (13º lugar). Agora, conquistamos novamente o título de campeãs pan-americanas. Estamos felizes porque nosso trabalho continua evoluindo e assim vamos seguir motivadas e trabalhando forte para o próximo ano - avaliou a treinadora Camila Ferezin, que também é coordenadora de Seleções de Ginastica Rítmica da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG).

No adulto individual, Natália Gaudio conquistou a medalha de bronze no arco (15,550), e Bárbara Domingos ficou na oitava posição, com 11,650. Natália voltou a subir no pódio na final da bola novamente com o bronze (15,050). Na mesma prova, Mariany Miyamoto ficou em oitavo (13,050).

Nas maças, Bárbara foi a quarta colocada (14,600), e Natália fechou em quinto (13,550). Já na fita, as duas ginastas inverteram as posições, com Natália em quarto (14,300) e Bárbara em quinto (12,350).

- Foi um dia muito positivo para o Brasil, e finalizamos o Pan-Americano com mais duas medalhas no individual. Além disso, esse último dia foi muito importante, porque foi uma disputa equilibrada com as melhores atletas do continente competindo lado a lado, o que mostra o alto nível do Pan. A Natália foi premiada com duas medalhas de bronze. No arco, ela conseguiu 15,500, uma nota altíssima no ciclo, além do bronze na bola com 15,050 - afirmou a treinadora Monika Queiroz.

No conjunto juvenil, a equipe brasileira, composta por Beatriz da Silva, Beatriz Pereira, Emilly Santos, Maria Luiza Pruner, Thays Wolff e Yasmim Jorge, terminou na quarta posição na final das cinco cordas (11,900) e ficou em sétimo após a série das dez maças (9,300).

No juvenil individual, Eduarda Carvalho ficou em quarto na final do arco (13,450) e em quinto na decisão das maças (13,500), e Amanda Santos terminou em oitavo no mesmo aparelho (12,800). Já na fita, Eduarda acabou na sexta posição (11,200).