Judô - Grand Slam da Rússia

Érika Miranda conquistou único ouro brasileiro na Rússia até o momento (Foto: Gabriela Sabau/IJF)

LANCE!
20/05/2017
12:32
São Paulo (SP)

No primeiro dia de competições do Grand Slam de Ecaterimburgo (RUS), neste sábado, o judô brasileiro conquistou cinco medalhas. Érika Miranda (52kg) levou o ouro, Chales Chibana (66kg) e Marcelo Contini (73kg), a prata, enquanto Rafaela Silva (57kg) e Mariana Silva (63kg) conquistaram bronze. A competição continua neste a partir das 2h (horário de Brasília) deste domingo, com mais nove brasileiros em ação. As finais serão às 9h (horário de Brasília).

Número sete do mundo, Miranda confirmou seu favoritismo ao bater três russas e  uma bielorrussa para garantir a medalha dourar e os mil pontos no ranking mundial. A brasileira passou por Olga Titova (RUS) e Darya Skrpynik (BLR) por ippon, ainda nas preliminares. Na semifinal, derrotou Natalia Kuziutina (RUS), bronze na Rio-2016, por wara-ari. Na decisão, Érika iniciou em desvantagem de um wara-ari contra a russa Alesya Kuznetsova, mas empatou a disputa com uma imobilização. No golden score, a campeã pan-americana marcou um wara-ari e garantiu seu quarto título de Grand Slam em sete finais.

A campeã olímpica Sarah Menezes (52kg), participou da competição, na mesma categoria, mas caiu na primeira luta, contra a húngara Reka Pupp, após sofrer uma penalidade no golden score.

Homens ficam com as pratas

O meio-leve  Charles Chibana (66kg) passou bem pelas fases iniciais com duas vitórias por ippon e duas por waza-ari até chegar à final. Ele venceu Kestutis Vitkauskas (LTU), Kenneth Van Gansbeke (BEL), Dzmitry Minkou (BLR) e Yakub Shamilov (RUS) antes de enfrentar Abdula Abdulzhalilov (RUS) na decisão pelo ouro.

A medalha dourara escapou pelo brasileiro usar a cabeça para se defender de uma queda, ato proibido pela nova regra de arbitragem por colocar em risco a integridade física do atleta (pescoço e coluna vertebral). Na mesma categoria, o novato Marcelo Fuzita parou na primeira luta para o mesmo russo que foi algoz de Chibana na final.

No peso leve (73kg), Marcelo Contini fez três lutas até a final contra o japonês Soichi Hachimoto, campeão do Grand Slam de Parisdneste ano. O atleta derrotou Arbi Khamkhoev (RUS), Benjamin Axus (FRA) e, na semifinal, Sam Van Westend (NED). Na final, Hachimoto conseguiu pontuar com dois waza-aris e o ippon, deixando o brasileiro com a prata.

- Foi um dia incrível. Consegui colocar em prática o que eu venho treinando. Fui bem eficiente nas minhas estratégias. Na final, realmente o atleta japonês foi superior. Mas, mesmo assim eu entrei acreditando. Eu tive uma postura ofensiva e tive chance de finalização no chão. Enfim, estou muito feliz com o resultado e, mais do que isso, com a minha postura durante a competição inteira - afirmou Contini.

Silvas ficam com bronze


A campeã olímpica Rafaela Silva (57kg) segue em busca de um título inédito de Grand Slam, mas acabou caindo de waza-ari para a veterana japonesa Nae Udaka, campeã mundial em 2014. Antes disso, Rafa havia vencido Sappho Coban (GER) por fusen gachi, o "W.O." do judô. Na repescagem, superou Timna Levy (ISR) por um waza-ari e, na disputa pelo bronze, foi tática, forçando três punições à Enkhriilen Lkhagvatogoo (MGL).

A última medalha brasileira do dia veio com Mariana Silva (63kg). A meio-médio chegou à semifinal depois de vencer Sanne Vermeer (NED) e Tserennadmid Tsend-Ayush (MGL), mas caiu para a russa Ekaterina Valkova, por ippon. Na luta pelo bronze, ela forçou três punições à canadense Stefanie Tremblay e ficou com a medalha, seu primeiro pódio em 2017.

O ligeiro Phelipe Pelim também lutou neste sábado, mas não passou por Joaquin Gomis (ESP) na primeira luta.