icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/08/2015
10:20

No meio do atletismo, a mídia e especialistas na modalidade especulavam até esta quinta-feira quando Pedro Pablo Pichardo bateria o recorde mundial do salto triplo. Grande nome da prova atualmente, o cubano chegou como favorito na prova para a disputa do Campeonato Mundial em Pequim, na China, e com resultados que o credenciavam para se tornar o melhor da história. Mas na disputa da final no estádio Ninho de Pássaro, quem quase conseguiu o feito não foi o caribenho, mas sim Christian Taylor.

O americano conquistou a medalha de ouro em Pequim nesta quinta-feira pela manhã no Brasil (noite na China) com a segunda melhor marca de todos os tempos na prova, com um salto de 18,21m em sua sexta e última tentativa. Taylor ficou a apenas oito centímetros do recorde mundial (18,29m), que pertence ao britânico Jonathan Edwards desde 1995. O aniversário de 20 anos deste salto foi no dia 7 deste mês. 

Com o resultado, Taylor se tornou o segundo melhor da história no salto triplo. Esta posição pertencia ao americano Kenny Harrison, que em 1996 conseguiu a marca de 18,09m. O terceiro melhor até então era o próprio Pedro Pablo Pichardo, que em maio deste ano saltou 18,08m em uma competição em Cuba.

O cubano ficou com a medalha de prata na final em Pequim, com a marca de 17,73m. O bronze foi para o português Nelson Évora, com 17,52m. A decisão não contou com brasileiros. 



No meio do atletismo, a mídia e especialistas na modalidade especulavam até esta quinta-feira quando Pedro Pablo Pichardo bateria o recorde mundial do salto triplo. Grande nome da prova atualmente, o cubano chegou como favorito na prova para a disputa do Campeonato Mundial em Pequim, na China, e com resultados que o credenciavam para se tornar o melhor da história. Mas na disputa da final no estádio Ninho de Pássaro, quem quase conseguiu o feito não foi o caribenho, mas sim Christian Taylor.

O americano conquistou a medalha de ouro em Pequim nesta quinta-feira pela manhã no Brasil (noite na China) com a segunda melhor marca de todos os tempos na prova, com um salto de 18,21m em sua sexta e última tentativa. Taylor ficou a apenas oito centímetros do recorde mundial (18,29m), que pertence ao britânico Jonathan Edwards desde 1995. O aniversário de 20 anos deste salto foi no dia 7 deste mês. 

Com o resultado, Taylor se tornou o segundo melhor da história no salto triplo. Esta posição pertencia ao americano Kenny Harrison, que em 1996 conseguiu a marca de 18,09m. O terceiro melhor até então era o próprio Pedro Pablo Pichardo, que em maio deste ano saltou 18,08m em uma competição em Cuba.

O cubano ficou com a medalha de prata na final em Pequim, com a marca de 17,73m. O bronze foi para o português Nelson Évora, com 17,52m. A decisão não contou com brasileiros.