Thales Leites exalta preparação para próximo duelo e fala do futuro da divisão dos médios

                  Thales exalta preparação para próximo duelo e fala do futuro (FOTO: Alexandre Loureiro/Inovafoto)

LANCE!
21/07/2016
17:05
Rio de Janeiro (RJ)

Um dos atletas mais experientes da Nova União, o lutador Thales Leites é o próximo representante da equipe de Dedé Pederneiras a subir no octógono do UFC. O desafio do atleta de Niterói, região oceânica do Rio de Janeiro, será diante de Chris Camozzi, no UFC Fight Night 92, que acontece no dia 6 de agosto, na cidade de Salt Lake City, nos Estados Unidos. O norte-americano substitui o compatriota Brad Tavares, oponente inicial de Thales e que se machucou faltando cerca de um mês para a luta. O duelo acontece na divisão dos médios (até 84kg).

Aos 34 anos, Thales Leites já é um velho conhecido do Ultimate. Com 15 duelos somados, o niteroiense teve duas passagens na franquia. A primeira foi de 2006 a 2009, onde chegou a disputar o cinturão dos médios diante do então campeão Anderson Silva. O retorno veio em 2013 e Thales não decepcionou a confiança embalando uma grande sequência de cinco triunfos consecutivos. Porém, nos últimos dois duelos, diante do atual campeão Michael Bisping e de Gegard Mousasi, Thales foi derrotado por decisão dos juízes. Ele garante ter corrigido os erros dos últimos reveses para engatar uma nova sequência na divisão.

- A preparação para a próxima luta está muito forte, tenho me dedicado demais e estou muito confiante que vou voltar a vencer. Essas duas derrotas não me abalaram em nada, eu e minha equipe confiamos demais no meu potencial e me sinto muito bem para chegar lá e fazer meu trabalho. Tenho treinado demais a parte em pé, não quero deixar na mão dos juízes de maneira alguma, então não se surpreendam se eu nocautear nessa luta - projeta.

E a declaração de Thales faz sentido. Apesar da faixa-preta de jiu-jitsu e a especialidade na modalidade, o lutador tem mostrado evolução constante na luta em pé. A prova disso foram os nocautes sobre Trevor Smith e Francis Carmont já no seu retorno ao Ultimate. Membro da Nova União desde os primórdios da equipe, o lutador falou ainda sobre os constantes questionamentos aos resultados do time recentemente e a volta por cima com as reconquistas dos cinturões do Bellator e do UFC, por Eduardo Dantas e José Aldo.

- Nós continuamos muito unidos como sempre fomos e os resultados voltaram a aparecer. O MMA está cada vez mais profissional e é um esporte individual, onde um ganha e outro perde. O rodizio de vitórias e derrotas acontece com todas as equipes. Não vejo má fase, e sim como algo normal que acontece com qualquer time. Às vezes fazem matérias tendenciosas, mas isso não abala em nada a gente e vamos continuar fazendo nosso trabalho. Não precisamos provar nada a ninguém - afirma o lutador.

Thales vê menosprezo a Bisping e injustiça com Jacaré
Ocupando atualmente a 12ª posição no ranking dos médios, Thales ainda analisou a atual situação da categoria e o título de Michael Bisping, seu rival a cerca de um ano, e que destronou Luke Rockhold no UFC 199, em junho. Para Thales ouve menosprezo por parte do norte-americano, e ele ainda falou sobre a polêmica do title shot para o brasileiro Ronaldo Jacaré, que deve perder a chance para Dan Henderson, que ocupa a 13ª posição, atrás até do próprio Thales.

- Acho que o título do Bisping foi muito merecido, ele realmente foi menosprezado pela mídia e pelos próprios lutadores, mas é um cara que sempre se manteve no top 10 e aproveitou as chances que teve. É um atleta duro e mostrou isso, a gente viu que essa história de ‘queixo de vidro’ ou ‘mão de alface’ não tem nada a ver", afirma, para completar sua opinião em relação ao próximo desafiante e o futuro da divisão. "A categoria é uma das mais difíceis que tem no UFC, com muitos candidatos ao título. Agora deram essa luta para o Dan Henderson e a meu ver não é justo. Acho que deveria ser o Jacaré, que fez por onde e merece essa chance. Mas a hora dele vai chegar, tenho certeza - encerra.