LANCE!
02/11/2016
10:20
Rio de Janeiro (RJ)

Enquanto uma decisão oficial não é tomada em relação a situação de José Aldo no UFC, seu treinador, Dedé Pederneiras, deu um sinal de qual pode ser o caminho do brasileiro no futuro. E esse rumo é dentro da organização. Segundo o líder da Nova União, "não há o que fazer, Aldo tem que lutar".

Em entrevista ao Combate.com,  Dedé explicou que após o primeiro encontro com os dirigentes do Ultimate em Las Vegas (EUA) foi possível entender que Aldo não será liberado do contrato. Logo, ele terá de abandonar a ideia de se aposentar e seguir lutando no octógono.

- Tem chance dele voltar, a ideia do Aldo de se aposentar é por um motivo dele querer fazer outras coisas. Mas nessas conversas que tivemos ficou claro que o UFC não vai liberá-lo pra fazer isso. Não tem o que fazer, tem que lutar - declarou Pederneiras.

Sobre uma possível data para retorno ao octógono, o treinador apontou o início de 2017 como ideia para encarar ou o vencedor de Max Holloway x Anthony Pettis ou Conor McGregor em seu retorno aos penas.

-  Tem essa luta do Pettis com o Holloway, e tem a decisão do Conor (anúncio que será feito após o UFC 205). Só depois disso nós vamos saber o que vai acontecer. Vai depender muito do que vai acontecer nessas duas lutas - Holloway x Pettis e McGregor x Alvarez. Não sei qual vai ser a decisão do Conor, mas acredito que entre fevereiro e março seria uma data boa. Os caras estão lutando agora, teriam três ou quatro meses de intervalo - projetou.

José Aldo anunciou sua aposentadoria do esporte no fim de setembro, após o Ultimate dar a chance de Conor McGregor disputar o cinturão dos leves contra Eddie Alvarez sem abdicar do título dos penas. O brasileiro pediu para ser liberado do contrato com o UFC para buscar novos sonhos, mas não teve o pedido atendido.