Há seis anos invicto, Igor Chatubinha diz estar vivendo o auge de sua carreira

                 Há seis anos invicto, Igor Chatubinha diz estar vivendo o auge de sua carreira (FOTO: Divulgação)

LANCE!
28/08/2016
16:05
Vancouver (CA)

Na contramão da maioria dos brasileiros que recentemente tem atuado em lutas de MMA no Leste Europeu, Igor Chatubinha vem de dois excelentes resultados no Velho Continente. O atleta do Team Nogueira derrotou o ex-UFC Pawel Pawlak e o russo Imran Abaev, em eventos disputados na Polônia e Rússia, respectivamente. O último triunfo foi conquistado recentemente, no dia 20, quando finalizou o anfitrião Abaev com um katagatame no 3° round, no Absolute Championship Berkut 43, disputado na cidade de Penza (RUS).

Invicto desde 2010 e com uma sequência de oito vitórias consecutivas, Chatubinha afirma estar vivendo o melhor momento de sua trajetória esportiva. Mas nem tudo foram flores nesses últimos seis anos, devido a uma série de lesões o lutador acabou afastado dos ringues e cages por longos três anos, entre 2013 e 2016.

- Esse é o melhor momento da minha carreira, passei por problemas sérios com muitas lesões nos últimos anos, mas sempre procurei me recuperar rápido e voltar a atividade. Aprendi muito, em todos os sentidos, durante esse período. Sem dúvidas estou no meu auge, tanto tecnicamente quanto mentalmente. Hoje sou um faixa-preta de Luta Livre formado pelo meu primo André Chatuba e tenho apoios fundamentais e amadureci muito no tempo inativo e só consegui superar essa fase graças ao apoio de todos aqueles que sempre acreditaram no meu trabalho - disse, via assessoria de imprensa.

Apesar de toda dificuldade que é enfrentar lutadores do Leste Europeu, principalmente russos dentro de sua casa, por conta da qualidade dos atletas e arbitragens muitas vezes tendenciosas, Igor não demonstra intimidação e explica o porquê de estar se saindo tão bem nesses eventos.

- Eu só posso atribuir essas vitórias a minha condição de treinamento, gosto de estar treinando sempre pra chegar bem nas lutas. Sempre faço muitos treinos tanto na Team Nogueira quanto na Caçadores, onde faço sparrings muito duros. Muita gente não quer lutar com os russos por serem considerados muito duros, e vencê-los em casa sem finalizar ou nocautear é quase impossível, mas nós fazemos um trabalho muito sério e acreditamos nisso. O nível alto de treinamento gera esses resultados - explicou.

“Cria” da comunidade da Chatuba, localizada no Complexo de Favelas da Penha, na Zona Norte do Rio de Janeiro, Igor Chatubinha divide seus treinamentos de atleta profissional com o trabalho de professor de artes marciais no projeto social Instituto Irmãos Nogueira, que atende jovens e crianças do Complexo.

- O trabalho social que eu faço é muito gratificante, porque eu sou da comunidade e sei bem a realidade dessas crianças, e poder levar a elas uma oportunidade, por si só, já se torna algo benéfico. Mostrar pra elas outro esteriótipo de exemplo e de ídolo, daqueles que elas normalmente têm, já ajuda a eliminar muitas armadilhas pra elas. Mostrar pra essas crianças e adolescentes um caminho, que pode mudar a vida delas e de sua família através do esporte e das artes marciais - concluiu.