LANCE!
30/10/2016
14:59
Rio de Janeiro (RJ)

Semanas após o vazamento da notícia de que está fora da liderança do UFC no Brasil após um ano e meio, Giovani Decker foi às suas redes sociais falar sobre a saída da organização e esclarecer os reais motivos de seu desligamento do evento, oficializado nesta semana.

Entre outras coisas, Decker aponta a falta de autonomia e as últimas decisões da franquia em relação a brasileiros aspirantes ao cinturão como razão para pedir as contas.. 

- Queridos, hoje oficializo os rumores da informação "vazada " na mídia em 30/09/2016 sobre a minha saída do comando do UFC no Brasil. Os motivos são muitos, mas citarei como principais a falta de autonomia para fazer meu trabalho bem feito e as últimas decisões envolvendo lutadores brasileiros em vias de disputa de cinturão. Agradeço muito a oportunidade dada a mim pelo UFC. Foram incríveis 18 meses à frente da organização no país, onde dentre várias realizações, tive a oportunidade e o prazer de liderar o UFC 198, o maior evento de MMA da história do Brasil, com 15 mil pessoas na pesagem e mais de 45 mil pessoas no evento, o terceiro maior da história do UFC. Agradeço muito aos atletas que sempre tiveram um carinho especial comigo, entendendo que eu estava lá para ajudá-los e orientá-los... saibam todos vocês que fui eu que aprendi demais com vocês! Aos fãs do UFC, meu muito obrigado pela energia sempre positiva ao meu trabalho e à minha pessoa, guardarei cada momento destes como únicos na minha vida! Saibam todos que o MMA ganhou um fã, um praticante (bem desajeitado, é verdade) e que estará sempre torcendo para este esporte, para o UFC, para os lutadores em geral e para os lutadores brasileiros em especial! Estamos juntos sempre - publicou o ex-presidente, em sua conta no Instagram, segundo trecho reproduzido pelo Combate.com.