Mutante

Mutante fe z as pazes com a vitória neste sábado (16), batendo Bamgbose na decisão unânime (Foto: Erik Engelhart)

Erik Engelhart 
18/04/2016
11:33
Rio de Janeiro (RJ)

Após quatro edições, o TUF Brasil foi interrompido e, em 2016, não haverá a quinta edição do programa, que está suspenso por tempo indeterminado pela queda brusca na audiência que teve, quando passou a ser exibido na Rede Globo muito tarde, começando 1h da manhã de segunda-feira.

Campeão da primeira edição do reality show realizado no Brasil, Cezar Mutante pensa que o TUF Brasil deve resgatar suas origens para voltar a dar audiência e retornar a grade de programação da TV brasileira.

- Acho que o TUF Brasil deveria se espelhar no primeiro que teve, que ficou marcado na história, nós teríamos que resgatar as raízes. O TUF 1 foi responsável pela popularização em massa do UFC, ficou marcado e foi o melhor que teve, acho que o formato usado na primeira edição deve ser explorado. O principal é que o TUF tem que voltar para o Brasil, né? Para voltar a ter aquela identificação que ficou faltando na última edição – disse, em entrevista exclusiva ao LANCE!

A quarta edição do reality show foi toda gravada em Las Vegas, nos Estados Unidos. Esta foi a primeira vez que o programa foi produzido fora do Brasil.

Perdas de patrocínios com a parceria entre UFC e Reebok

Outro assunto abordado por Mutante, foi a chegada da Reebok ao Ultimate, que fez com que o peso-médio perdesse uma boa grana em patrocínios, já que a marca esportiva obriga os atletas a usarem suas roupas e uniformes, tanto na semana que antecede a luta, quando no dia do espetáculo, dentro do octógono.

- Não dá para mentir, a situação ficou bem difícil para mim com a chegada da Reebok agora para arrumar patrocínio, mas trabalho para o UFC, visto a camisa deles e tenho certeza de que ainda tem muitas melhoras para acontecer – disse, esperançoso.

Após acumular duas derrotas seguidas por nocaute no primeiro round, Cezar Mutante fez as pazes com a vitória, neste sábado (16), em Tampa (EUA), quando derrotou Oluwale Bamgbose na decisão unânime dos juízes.