icons.title signature.placeholder Carlos Antunes
icons.title signature.placeholder Carlos Antunes
31/08/2015
15:15

O ano de 2015 não será lembrado com carinho por Lyoto Machida. Após terminar 2014 com uma grande vitória sobre CB Dollaway, o carateca acumulou duas derrotas seguidas, para Luke Rockhold e Yoel Romero. Agora, recuperado de uma cirurgia no nariz, o ex-campeão dos meio-pesados do Ultimate, em entrevista ao LANCE!, diz pensar em ficar um tempo longe dos octógonos e só voltar em 2016. Um dos motivos: os cards até o fim do ano estão praticamente fechados e ele precisa descansar depois três lutas em sete meses.

- O UFC não firmou nada até agora e estou achando que este ano não vou mais lutar, pois os cards estão todos fechados até dezembro. Então é provável que eu não lute até dezembro. Passou a luta e comecei a fazer meu treinamento devagar. Estou treinando só que limitado - contou.

Assim que foi derrotado por Romero, em junho deste ano, Machida também teve que lidar com uma fratura no nariz, em decorrência da sequência de cotoveladas que recebeu. Com uma visão próxima do ocorrido, Ray do Vale, mãe da esposa de Lyoto, Fabyola, pediu para que o lutador de 37 anos pendurasse as luvas e se dedicasse somente à família. Perguntado a respeito, o lutador entendeu o desabafo da sogra, mas ratificou seu desejo de continuar lutando.

- Ela olhou com uma visão de uma mãe, de uma pessoa muito próxima. Isso aí, para o tipo de vida que levo, faz parte - vencer e perder e às vezes se machucar. Como toda mãe tem o lado protetor, ela não quer que o seu filho passe por momentos difíceis. Mas eu não posso olhar muito com esses olhos. Tenho que olhar para o que eu quero e para minha carreira. Vai chegar o momento que eu me programei para fazer realmente a minha última luta, mas ainda não está muito perto não - adiantou.

 
 Lyoto rechaçou aposentadoria do Ultimate após derrotas (FOTO: UFC)

Questionado sobre o quanto o prejudicou fazer duas lutas em dois meses, Lyoto garantiu que isso o serviu de aprendizado, para ver como é a sensação de agilizar um treinamento. Mas também, revelou que outro motivo o atrapalhou nas atuações.

- Quando passou a luta de abril eu vim de uma cirurgia na mão e isso limitou um pouco meu treinamento. Eu realmente não pude lutar da maneira como queria, mas não é nenhuma desculpa, não. Foi uma experiência diferente fazer duas lutas, assim tão rápido, mas eu vejo tudo como aprendizado. Serviu de aprendizado pra mim para eu possa ver o que posso fazer - afirmou o lutador.

Confira o bate-papo com Lyoto Machida
Você fez duas lutas em dois meses. Acha que agora vai precisar de mais tempo para voltar?
Acho que sim. Acredito que mais pelo que aconteceu, pois eu fiz três lutas em sete meses e fiz três cirurgias em sete meses. Então isso aí me desgastou um pouco fisicamente e mentalmente também. Porque toda preparação exige uma dedicação grande. Acho que agora o UFC vai me dar um tempo para eu poder me recuperar realmente e poder voltar a lutar.

Cogita uma volta aos meio-pesados depois dessas derrotas?
Não. Meu foco é na categoria dos médios e vou focar aqui.

Você já enfrentou o Chris Weidman e Luke Rockhold. Qual é seu palpite para essa luta?
Acho que é uma luta dura para os dois lados, mas acho que o Weidmam como campeão tem um pouco mais de experiência nesse quesito. Então acho que vai pesar um pouco mais pra ele.

O ano de 2015 não será lembrado com carinho por Lyoto Machida. Após terminar 2014 com uma grande vitória sobre CB Dollaway, o carateca acumulou duas derrotas seguidas, para Luke Rockhold e Yoel Romero. Agora, recuperado de uma cirurgia no nariz, o ex-campeão dos meio-pesados do Ultimate, em entrevista ao LANCE!, diz pensar em ficar um tempo longe dos octógonos e só voltar em 2016. Um dos motivos: os cards até o fim do ano estão praticamente fechados e ele precisa descansar depois três lutas em sete meses.

- O UFC não firmou nada até agora e estou achando que este ano não vou mais lutar, pois os cards estão todos fechados até dezembro. Então é provável que eu não lute até dezembro. Passou a luta e comecei a fazer meu treinamento devagar. Estou treinando só que limitado - contou.

Assim que foi derrotado por Romero, em junho deste ano, Machida também teve que lidar com uma fratura no nariz, em decorrência da sequência de cotoveladas que recebeu. Com uma visão próxima do ocorrido, Ray do Vale, mãe da esposa de Lyoto, Fabyola, pediu para que o lutador de 37 anos pendurasse as luvas e se dedicasse somente à família. Perguntado a respeito, o lutador entendeu o desabafo da sogra, mas ratificou seu desejo de continuar lutando.

- Ela olhou com uma visão de uma mãe, de uma pessoa muito próxima. Isso aí, para o tipo de vida que levo, faz parte - vencer e perder e às vezes se machucar. Como toda mãe tem o lado protetor, ela não quer que o seu filho passe por momentos difíceis. Mas eu não posso olhar muito com esses olhos. Tenho que olhar para o que eu quero e para minha carreira. Vai chegar o momento que eu me programei para fazer realmente a minha última luta, mas ainda não está muito perto não - adiantou.

 
 Lyoto rechaçou aposentadoria do Ultimate após derrotas (FOTO: UFC)

Questionado sobre o quanto o prejudicou fazer duas lutas em dois meses, Lyoto garantiu que isso o serviu de aprendizado, para ver como é a sensação de agilizar um treinamento. Mas também, revelou que outro motivo o atrapalhou nas atuações.

- Quando passou a luta de abril eu vim de uma cirurgia na mão e isso limitou um pouco meu treinamento. Eu realmente não pude lutar da maneira como queria, mas não é nenhuma desculpa, não. Foi uma experiência diferente fazer duas lutas, assim tão rápido, mas eu vejo tudo como aprendizado. Serviu de aprendizado pra mim para eu possa ver o que posso fazer - afirmou o lutador.

Confira o bate-papo com Lyoto Machida
Você fez duas lutas em dois meses. Acha que agora vai precisar de mais tempo para voltar?
Acho que sim. Acredito que mais pelo que aconteceu, pois eu fiz três lutas em sete meses e fiz três cirurgias em sete meses. Então isso aí me desgastou um pouco fisicamente e mentalmente também. Porque toda preparação exige uma dedicação grande. Acho que agora o UFC vai me dar um tempo para eu poder me recuperar realmente e poder voltar a lutar.

Cogita uma volta aos meio-pesados depois dessas derrotas?
Não. Meu foco é na categoria dos médios e vou focar aqui.

Você já enfrentou o Chris Weidman e Luke Rockhold. Qual é seu palpite para essa luta?
Acho que é uma luta dura para os dois lados, mas acho que o Weidmam como campeão tem um pouco mais de experiência nesse quesito. Então acho que vai pesar um pouco mais pra ele.