Cruz começou em desvantagem, mas virou a luta para ser campeão

                             Cruz começou em desvantagem, mas virou a luta para ser campeão (FOTO: Jason Silva )

LANCE!
12/09/2016
14:04
Rio de Janeiro (RJ)

O Fighten MMA presenteou os fãs de lutas com seu terceiro show na noite do último domingo, em Londrina, no Paraná. O evento montou a já tradicional estrutura gigantesca no ginásio Professor Darcy Cortez (Moringão), e, além do público presente, quem teve motivos de sobra para sorrir foi Felipe Cruz. O catarinense se tornou o primeiro campeão da organização, faturando o cinturão até 66 kg. Foram nove lutas no card, sendo cinco definidas por nocaute além de duas finalizações.

Na disputa pelo título inaugural da categoria até 66 kg, principal luta do card, Felipe Cruz ficou frente a frente com Filipe Mineiro e se deu bem. Mas, para conquistar o cinturão, o lutador da Team Tavares teve que mostrar um bom poder de superação. Mineiro começou melhor, mas sofreu com um profundo corte sobre o supercílio esquerdo, resultado de uma boa combinação de Cruz. O sangramento ficou insustentável para Mineiro, e o médico da Comissão Atlética Brasileira de MMA (CABMMA) interrompeu a luta prezando pela integridade física de Mineiro. Festa de Felipe Cruz.

- Eu sabia que essa seria uma das lutas mais duras e importantes da minha carreira. Me dediquei muito nos treinamentos, me preparei da melhor maneira possível. Foi uma guerra! Mais um cinturão em minha carreira, e quero lutar pelo UFC. O Fighten é um excelente evento, certamente essa conquista vai me ajudar chegar até lá. Mas quero defender meu título por aqui enquanto der, e vai ser difícil ele sair das minhas mãos - avisou Cruz, que alcançou sua 18ª vitória na carreira em 22 lutas profissionais.

Vencer também é um assunto que dois jovens lutadores dominam. Inclusive, eles não sabem o que é perder. Invictos, Gustavo Gabriel, de 22 anos, anotou o triunfo de número 12 na carreira ao finalizar Marcelo Hulk ainda no primeiro round, enquanto Daniel Willycat, de 21, nocauteou Cleverson Carrilho também no round inicial para conquistar a quinta vitória no cartel.

A força da juventude também se fez presente com Luiz Cado. O atleta da CM System se inspirou na presença do exímio faixa-preta Cristiano Marcello em seu córner e arrancou os três tapinhas de Rafael Teixeira com uma guilhotina em pouco mais de dois minutos de luta. Foi a quarta vitória seguida de Cado, de 23 anos.

Trocação franca de golpes não faltou no embate entre Flavio Magon e Rafael Atílio. Os atletas já haviam protagonizado encaradas tensas nos encontros no media day e pesagem oficial do evento, e não deixaram a desejar dentro do cage. Na segunda etapa da luta, Magon conseguiu um knockdown e não desperdiçou a chance de sacramentar o nocaute. Da mesma maneira, só que no terceiro round, Juliano Kuririn derrotou Christian Tide no desafio de veteranos do card, no que pode ter sido a última luta na carreira de Tide, de 40 anos.

Willian Lima não deixou seu compromisso passar do primeiro round. O catarinense nocauteou Diogo Hannibal para conquistar sua oitava vitória no cartel, que registra apenas uma derrota. Por conta de um golpe ilegal, um chute enquanto o adversário estava em quatro apoios, Isaac Moura foi desqualificado e viu Alessandro Da Lua comemorar. Dehan Sato também comemorou. Venceu André Bugre por decisão unânime dos juízes laterais na luta que abriu o card do Fighten MMA 3.


Fighten MMA 3 - Resultados Oficiais
Felipe Cruz venceu Filipe Mineiro por nocaute técnico no quinto round (2 min e 30 seg)
Gustavo Gabriel venceu Marcelo Hulk por finalização (guilhotina) no primeiro round (3 min e 02 seg)
Juliano Kuririn venceu Christian Tide por nocaute técnico no terceiro round (4 min e 59 seg)
Flavio Magon venceu Rafael Atílio por nocaute no segundo round (2 min e 38 seg)
Alessandro Da Lua venceu Isaac Moura por desqualificação no primeiro round (2 min e 41 seg)
Willian Lima venceu Diogo Hannibal por nocaute técnico no primeiro round (4 min e 26 seg)
Luiz Cado venceu Rafael Teixeira por finalização (guilhotina) no primeiro round (2 min e 28 seg)
Daniel Willycat venceu Cleverson Carrilho por nocaute técnico no primeiro round (3 min e 10 seg)
Dehan Sato venceu André Bugre por decisão unânime dos juízes laterais