Johnny Eduardo

               Lutador  da Nova União é o número 13 no ranking dos pesos-galos do UFC - (FOTO: divulgação)

LANCE!
07/10/2016
10:00
Rio de Janeiro (RJ)

Onze meses depois do último duelo no UFC, o carioca Johnny Eduardo estará de volta ao octógono no dia 19 de novembro, no Brasil. Em São Paulo, no UFC Fight Night 100, o lutador da Nova União vai encarar o armênio Manny Gamburyan em um duelo de veteranos pela divisão dos galos.

Aos 35 anos, Johnny sobe ao cage em busca de reabilitação do seu último confronto na organização, quando foi finalizado por Aljamain Sterling. Revés este que interrompeu uma sequência de dois triunfos consecutivos.

- Me mantenho no mesmo ritmo sempre. A derrota para o Sterling com certeza foi frustrante porque me tirou uma boa sequência invicta no UFC. Alcançar o patamar de três vitórias seguidas, por exemplo, é muito complicado quando tem pela frente rivais de ótimo nível. Porém, o revés serviu como aprendizado para estudar mais possíveis rivais e corrigir erros no meu jogo. Depois desse tempo longe dos ringues, não tenho dúvidas que chego mais forte e com mais vontade ainda de vencer - comenta o carioca.

O duelo com Gamburyan ganha contorno de emoção ao se observar a posição que cada um ocupa no ranking do UFC da categoria. Mesmo com a derrota em dezembro, Johnny se manteve no Top 15 e hoje figura na 13ª colocação. Já Gamburyan, que também vem de derrota para John Dodson, não está entre os ranqueados.

- Fico muito ansioso esperando o próximo combate. Desde que lutei com o Sterling não via a hora de ser convocado para os duelos. O UFC demorou muito para me chamar, mas não perdi as esperanças. Continuo bem ranqueado e mesmo com o Gamburyan não estando no Top 15 sei que vai ser um duelo muito difícil, porque ele é forte e tem estratégias para me vencer. Creio que vá buscar o chão, mas posso vencer em todas as frentes. Estou empolgado para figurar entre os dez melhores - garante Eduardo.

Ao subir no octógono, Johnny Eduardo estará carregando um recorde de 27 vitórias e apenas dez derrotas. Apesar de não enxergar uma especialidade específica em seu jogo, o brasileiro soma 13 finalizações e sete nocautes nos seus triunfos - sete na decisão dos jurados. Das derrotas, nunca foi à lona e foi finalizado oito vezes.

- Gosto muito da trocação, mas acho que finalizar pode ser uma grande arma para mim e para derrotar o Gamburyan. Sei que é um lutador difícil de levar ao chão, mas meu jogo encaixa bem. Se der para nocautear, com certeza vou levá-lo à lona. Quero dar um show e mostrar que posso ir mais longe no UFC. Mesmo aos 35 anos, tenho muita lenha para queimar e vou mostrar isso em São Paulo - opina.

No UFC, Johnny fez quatro lutas desde 2011, quando foi contratado, venceu duas e perdeu outras duas. Contra Eddie Wineland, em 2014, o carioca entrou como azarão no cage e nocauteou o rival ainda no primeiro round. A outra vítima do Eduardo foi Jeff Curran, na decisão unânime dos juízes laterais.

Já Gamburyan soma 15 vitórias e nove derrotas, além de um No Costest - luta sem resultado - na carreira. No UFC, atuou em nove oportunidades e venceu quatro. Ainda nos tempos de WEC, antes de chegar no Ultimate, disputou o cinturão da organização contra o então campeão José Aldo e foi nocauteado no segundo round.