Wilson Baldini
23/04/2016
06:00
São Paulo (SP)

Gennady Gennadyevich Golovkin, ou simplesmente GGG, é o nome do boxe na atualidade. Aos 34 anos, o invicto boxeador do Cazaquistão soma 34 vitórias (31 nocautes) e coloca os cinturões dos médios da Federação Internacional (FIB) e da Associação Mundial de Boxe (AMB), na noite deste sábado, em Los Angeles (EUA).

Seu adversário, o norte-americano Dominic Wade, de 26 anos, também invicto, com 18 vitórias e 12 nocautes, diz que vai surpreender:

– Não vejo nada de especial nele.

GGG começou a lutar por causa de seus dois irmãos mais velhos, Sergey e Vadim. Eles o levavam pelos bairros de Karanganda, no Cazaquistão, em busca de lutas.

– Eles faziam isso para mim desde o jardim de infância – comentou.

Vadim morreu em 1990 e Sergey em 1994, em ação pelo exército do país. Os corpos não foram achados.

– Foi muito, muito difícil. Nossa família foi destruída – disse GGG.

O fato marcou profundamente a vida de GGG, que fez uma promessa de jamais perder no boxe profissional, em homenagem aos irmãos.

A ligação de Golovkin com a família é muito intensa. Filho de pai russo, que trabalhava em mina de carvão (já morto), e mãe coreana, assistente em um laboratório químico.

O estilo de GGG agrada demais aos fãs da nobre arte. É agressivo o tempo todo, erra poucos golpes, evita o clinche e tem uma força fora do comum em ambos os punhos.

Com mais uma vitória, GGG deve encarar o mexicano Saúl Canelo Álvarez no segundo semestre.