Durinho

Gilbert Durinho venceu com uma finalização no primeiro round (FOTO: Luis Fernando Coutinho)

Luis Fernando Coutinho
08/07/2016
11:10
Las Vegas (EUA)

O Gilbert Durinho que deixou o octógono no último dia 7 de novembro, em São Paulo, foi completamente diferente daquele que saiu do cage nesta quinta-feira, no UFC Fight Night, realizado em Las Vegas (EUA). O brasileiro se recuperou da primeira derrota na carreira e superou o pesadelo que foi lidar com o revés vencendo Lukasz Sajewski por finalização no primeiro round.

Em conversa com o LANCE! após o evento, Durinho avaliou as mudanças que fez em seus treinamentos e apontou a maturidade como principal evolução em busca da recuperação no octógono.

- Foi horrível a derrota. Tem um lado bom quando ganha, é só festa, celebração, mas quando perde é o outro lado da moeda mesmo. Passei duas semanas mal, para baixo. Depois levantei a cabeça. Foi complicado, mas foi um processo. Refinamos bastante técnica em pé, foquei em controlar meu adversário e ficar calmo. Eu sempre derrubava e depois queria logo pegar meus rivais. Dessa vez, derrubei e fiquei calmo. Fiquei mais maduro depois da derrota. São males que vem para o bem. Corrigi muitas falhas e estou muito feliz com o resultado - explicou o lutador.

Durinho, apesar de especialista em jiu-jitsu, começou o duelo com o polonês na trocação, esbanjando confiança até que encontrou a brecha, colocou para baixo e venceu o rival.

- Sou do jiu-jitsu puro, mas sou um cara mais agressivo, sou do Jiu-Jitsu, mas sou diferente do Demian (Maia), que nem troca porrada, já derruba logo. Eu gosto da trocação, gosto de sparring. Quero sempre melhorar e ser completo. Gosto da luta. Não quero tomar golpe à toa, mas tenho que aprender a gostar. Estou querendo afinar minha trocação, conectei dois bons golpes. Estou querendo ficar calmo em pé para sentir que a luta vai ficar fácil e aí sim eu derrubar. Tenho gás para isso - analisou.