Claudia Gadelha projetou retorno ao octógono para fevereiro (FOTO: Alexandre Loureiro/Inovafoto)

                Claudia Gadelha projetou retorno ao octógono para fevereiro (FOTO: Alexandre Loureiro/Inovafoto)

Luis Fernando Coutinho
10/11/2015
09:47
São Paulo (SP)

Neste sábado, acontece o UFC 193, em Melbourne, Austrália. E embora Claudia Gadelha não esteja escalada para o show, o evento é de grande importância para a brasileira. Segundo ela, o UFC já lhe garantiu a posição de próxima desafiante ao cinturão peso-palha da organização contra a vencedora do confronto entre Joanna Jedrzejczyk e Valerie Letourneau.

Em passagem por São Paulo para prestigiar o evento do último sábado, a atleta da Nova União explicou a promessa do UFC e ainda revelou o motivo de não temer perder a chance.

- Eu queria lutar esse ano, mas resolvi esperar pelo UFC pois querem que eu lute em fevereiro. Me deram data de fevereiro para que eu esteja pronta. Vou estar na Austrália neste sábado para ver a luta da Joanna e da Valerie e me disseram que quem vencer a luta vai ser minha próxima adversária. Eu conversei com o Sean Shelby e ele até falou pra mim em inglês "I don't wanna Miesha Tate you" (o que significa que o evento não quer repetir com a brasileira o que aconteceu com a americana, que teve uma chance pelo título prometida, mas depois a perdeu por decisão do UFC) . No meu caso é totalmente diferente. Miesha perdeu duas vezes para a Ronda. Minha luta com a Joanna foi diferente. Ela não me finalizou nem nocauteou, e até ela quer essa luta. É totalmente difefente. Eu acredito que essa luta vai acontecer agora. É pessoal - explicou, em conversa com jornalistas. 

A brasileira ainda comentou e ironizou o sucesso de Paige VanZant, americana de 21 anos que vem sendo tratada como promessa pela organização.

Paige VanZant (FOTO: Luis Fernando Coutinho)
  Paige VanZant vem fazendo sucesso (FOTO: Luis Fernando Coutinho)


- O UFC procura vender. No fim das contas, mostramos quem é o melhor na hora da luta. Ela (Paige VanZant) está vendendo, o UFC quer lutadores que vendem e trazem grana para o evento. Ela é bonitinha, dançarina, bem diferente das outras lutadoras, que tem um perfil atlético. Ela falou que acha que as lutadores mais saradas tomavam anabolizantes, mas eu quero ver se ela vai falar isso daqui a dois anos, quando ela realmente for uma lutadora profissional. Ela está começando agora e é dançarina, então não tem músculo no corpo - provocou.