Giovani Decker, presidente do UFC no Brasil (FOTO: Divulgação/Inovafoto)

                          Giovani Decker é o presidente do UFC no Brasil (FOTO: Divulgação/Inovafoto)

Luis Fernando Coutinho
06/11/2015
13:21
São Paulo (SP)

Após os envolvimentos nos casos de doping antes e depois do UFC 183, em janeiro, Anderson Silva estará apto a voltar ao octógono apenas em fevereiro de 2016. Mas embora a volta ainda seja uma incógnita, Spider publicou recentemente no Instagram uma mensagem dizendo que retorna às lutas em abril. Em entrevista ao Lance!, Giovani Decker, presidente do UFC no Brasil, desmentiu a previsão do brasileiro, mas prometeu brigar para que sua volta aconteça no país.

Questionado sobre a publicação de Spider na internet, o dirigente explicou a posição da organização e disse que "não há nada oficial" a respeito da volta de Anderson ao UFC. 

- Muitas vezes o lutador publica o desejo dele. É uma forma de impressionar a companhia. "Quero lutar aqui ou ali, tô pronto". Acho normal. Isso é uma novidade pra mim, na verdade... Não tem nada oficial. Ele está apto a lutar em fevereiro. Tem muita discussão dentro da empresa sobre o que será feito com o Anderson. Ele é uma estrela internacional. Claro que dentro do possível tenho o desejo de trazer ele para uma volta no Brasil. Mas é uma grande discussão. O Anderson é brasileiro, mas é estrela internacional. É uma discussão pesada - ponderou Decker.


Decker ainda detalhou o trabalho feito para que seja possível trazer grandes astros da organização para show no Brasil. O mandatário promete empenho para receber a volta de Spider em solo tupiniquim.

- Sempre disse que queria menos eventos, mas melhores no Brasil. Essa tem sido a minha bandeira com o UFC no Brasil. Sendo franco e claro: os dois eventos que caíram na minha mão foram assim. Não só o UFC 190, mas honestamente não teve um Fight Night no mundo que teve esse card aqui de São Paulo, com a relevância local e tudo mais. Vou brigar, e brigo mesmo para ter os melhores aqui. Mas não é fácil assim. O Anderson desperta interesse do mundo todo. É um conjunto de coisas. Não é simples como o fã torce para que seja. É mais complexo - detalhou.