Luis Fernando Coutinho
26/10/2017
17:05
São Paulo (SP)

Ódio do Brasil, confiança nas alturas e previsões ousadas. Assim pode ser resumida a participação de Colby Covington no Media Day que aconteceu nesta quinta-feira, antes do UFC São Paulo, onde enfrenta Demian Maia na co-luta principal da noite. Mais do que finalizar o brasileiro, o americano ainda prevê a aposentadoria do paulista.

- Cara, estou odiando esse lugar. Mal posso esperar para voltar aos Estados Unidos. É difícil de se conseguir uma refeição decente aqui. Desligaram o ar-condicionado no meu primeiro dia, na última vez que lutei no Brasil desligaram o ar-condicionado na arena. O lado bom é que treino para elementos assim e para não me cansar. Então Fo...-se o Brasil. (No sábado) espero a mesma relação que sempre foi. Todo mundo vai gritar "Uh, vai morrer" , mas eles vão descobrir que vão morrer no sábado. Gosto de ser o vilão. Gosto de calar as pessoas e deixá-las em silêncio. Deixem seus lenços prontos para sábado a noite - disparou o americano, que ainda fez uma previsão inesperada sobre o combate contra Demian, ícone do jiu-jitsu.


- Acho que seria fácil demais nocautear Demian Maia. Quero me desafiar. Quero ir lá e finalizá-lo, provavelmente com um estrangulamento ou uma gravata peruana. Acredito absolutamente que Demian Maia vai se aposentar neste fim de semana. Mesmo sabendo que ele não quer, vou forçar sua aposentadoria. Espero que ele tenha seu discurso de aposentadoria pronto - projetou o falastrão. 

Em conversa com a imprensa, sobrou até para o atual campeão dos meio-médios, Tyron Woodley.

- Acho 100% que o UFC me deve uma chance pelo título depois que eu finalizar Demian Maia. Tyron Woodley está curtindo seu tempo fora, porque quando seu tempo de voltar chegar, seu tempo terá acabado. Woodley vai ficar com medo, me chamar de racista e me evitar. "Ah, sou a vítima, todos olhem pra mim, são todos racistas, querem que eu enfrente Colby, blá, blá, blá". Quando ele pisar no octógono comigo, será a última luta de sua carreira - garantiu. 

Por fim, Covington se colocou como o lutador mais perigoso da categoria dos meio-médios. Confiante, ele acredita que foi o único a aceitar o desafio contra Demian e promete capitalizar os erros do rival.

- Demian ainda está ativo na divisão, ele é um cara que ainda é perigoso. Ninguém queria enfrentar Demian nessa categoria, eu aceitei, vim para a p... do Brasil e vou finalizá-lo. Eles me evitam como sempre fizeram a minha carreira toda. Sou o cara mais duro da divisão. Ninguém quer me enfrentar. Acho que estou na cabeça do Demian. Sábado a noite ele vai errar, e vou capitalizar esses erros - projetou.

Confira as lutas do UFC São Paulo
Derek Brunson x Lyoto Machida
Demian Maia x Colby Covington
Pedro Munhoz x Rob Font
Francisco Massaranduba x Jim Miller
Thiago Marreta x Jack Hermansson
John Lineker x Marlon Vera
Card preliminar
Vicente Luque x Niko Price
Antônio Cara de Sapato x Jack Marshman
Elizeu Capoeira x Max Griffin
Hacran Dias x Jared Gordon
Deiveson Alcântara x Jarred Brooks
Marcelo Golm x Christian Colombo