LANCE!
18/07/2016
16:03
Las Vegas (EUA)

A Comissão Atlética de Nevada revelou, nesta segunda-feira (18), as substâncias proibidas que foram encontradas no corpo de Jon Jones, durante exames feitos no dia 16 de junho, período considerado fora de competição. O ex-campeão foi pego com dois bloqueadores de estrogênio, hormônio que atua como um normalizador de taxa de testosterona no organismo.

O nível de estrogênio (hormônio feminino) aumenta bastante, quando o corpo não produz mais testosterona naturalmente, muitas vezes por conta do abuso de esteroides. Desta forma, o bloqueador diminui a quantidade de estrogênio, forçando o organismo a voltar produzir testosterona.

O lutador foi retirado da disputa de cinturão dos meio-pesados, que aconteceria em 9 de julho contra Daniel Cormier, em Las Vegas (EUA) e Anderson Silva assumiu o seu lugar, sendo derrotado na decisão unânime.

De acordo com a Comissão Atlética de Nevada, Jones testou positivo para hidroxiclomifeno e para metabólitos de Letrozole, o segundo usado em pacientes com câncer de mama.

Jon Jones pode ser suspenso por até dois anos do MMA e a sua pena deve ser anunciada entre agosto e setembro, em uma nova reunião da Comissão de Nevada, que ainda não tem data confirmada para acontecer.

Esta é a segunda vez que Jones é pego no teste antidoping. Em 2015, ele testou positivo por uso de cocaína, em resultado divulgado após a vitória sobre Daniel Cormier.