Luis Fernando Coutinho
28/10/2017
10:10
São Paulo (SP)

Neste sábado, a partir das 21h, o UFC realiza sua última edição tupiniquim da temporada. Em São Paulo, no Ginásio do Ibirapuera, 12 brasileiros entram em ação em show que marca o retorno de Lyoto Machida ao octógono, após dois anos afastado. Mais do que voltar à atividade, o carateca quer uma nova corrida pelo cinturão do UFC. O primeiro passo acontece diante de Derek Brunson, pela categoria dos médios.

Aos 39 anos, Lyoto vem de duas derrotas e não luta desde junho de 2015. Ele acabou suspenso durante esse tempo devido ao flagra no doping por uso de uma substância ilegal. A saudade do octógono já fala alto.


- Eu esperei muito tempo para voltar ao octógono, este é um momento muito aguardado. Eu trabalhei muito para estar aqui e é o que eu mais gosto de fazer. Fiz um camp ótimo. Muita gente acha que o tempo em que fiquei fora pode me atrapalhar. Mas eu não olho dessa forma. O tempo fora me ajudou a encontrar pessoas diferentes e ter um olhar diferente sobre tudo. Foi um momento de amadurecimento - comentou o lutador, que é ex-campeão da divisão dos meio-pesados.

Diante de Brunson, que é o sétimo colocado no ranking oficial da categoria, Lyoto acredita que uma boa vitória pode alçá-lo mais próximo de uma nova chance pelo título.

- A vitória na luta contra o Derek me joga lá na frente. Não me preocupo muito com isso, colocação na divisão, mas quero fazer uma grande luta e mostrar que estou de volta - garantiu o brasileiro.

Demian Maia encara falastrão
A co-luta principal do UFC São Paulo conta com um verdadeiro contraste quando se fala em postura. De um lado, Demian Maia, experiente e discreto; do outro, Colby Covington, jovem, falastrão e provocador.

O americano vem disparando farpas contra Demian desde que o duelo foi anunciado. Ele esbanja confiança diante do combate e projeta até aposentar o brasileiro.

- Nocautear Demian seria fácil demais, então quero finalizá-lo. Quero me desafiar. Sei que ele não pensa nisso, mas após minha vitória ele vai querer se aposentar. Espero que o discurso dele de despedida esteja pronto - provocou o americano, que soma quatro vitórias consecutivas.

Aos 39, Demian tinha dez anos de carreira no MMA quando Colby ingressou na modalidade. Ele acredita que a experiência fará a diferença dentro do octógono.

- Acho que (a experiência) faz a diferença. Lógico que a luta são outros fatores que contam, ele é duro, vamos ver como o jogo se encaixa, mas sei que a minha experiencia é um diferencial - avaliou.

Confira as lutas do UFC São Paulo
Derek Brunson x Lyoto Machida
Demian Maia x Colby Covington
Pedro Munhoz x Rob Font
Francisco Massaranduba x Jim Miller
Thiago Marreta x Jack Hermansson
John Lineker x Marlon Vera
Card preliminar
Vicente Luque x Niko Price
Antônio Cara de Sapato x Jack Marshman
Elizeu Capoeira x Max Griffin
Hacran Dias x Jared Gordon
Deiveson Alcântara x Jarred Brooks
Marcelo Golm x Christian Colombo