LANCE!
01/03/2016
09:00
Rio de Janeiro (RJ)

O confronto entre Anderson Silva e Michael Bisping, vencido pelo inglês, por decisão unânime, no UFC Londres, ainda rende muita repercussão. Uma das polêmicas do confronto foi a joelhada voadora de Spider, que derrubou o rival no fim do terceiro round. Juiz da luta, Herb Dean, não deu a vitória para o brasileiro por nocaute, apesar de sua celebração. Em entrevista ao programa "MMA Hour", o árbitro deu sua versão do fato.

- Ele acertou a joelhada, Michael caiu e depois Anderson saiu para comemorar. Eu vi ele caído, mas não interrompemos a luta só porque alguém caiu. Anderson deu um aviso. Ele não atacou depois, porque estava celebrando, foi uma confusão. Não tinha confusão da minha parte, não interrompi e tinha de continuar - disse, emendando.

- Se Bisping estivesse inconsciente, eu acabaria a luta. Se Anderson pulasse em cima... Algo poderia acontecer. Eram muitas situações diferentes que podiam ter acontecido - completou o árbitro do Ultimate.

'Não tinha confusão da minha parte, não interrompi e tinha de continuar'

Antes da joelhada voadora do ex-campeão, Bisping reclamou, pois seu protetor bucal havia caído. O inglês queria que Dean interrompesse a luta, mas ele explicou que ele não poderia ter feito isso.

- Ele não pode fazer isso no meio de uma trocação (reclamar do protetor bucal). (...) Essas instruções são dadas a eles no vestiário. Eles sabem que é responsabilidade deles. Ao mesmo tempo lutas de MMA são estressantes. Você faz coisas e repensa depois. Não sei porque ele fez isso. (...) Talvez ele não saiba a regra. Muitos não sabem os mecanismos e ele não sabia. A regra diz que eu não podia interferir - contou.

Assim que soou o gongo do fim do round, com Bisping ainda caído no chão, Dean fez questão de prestar apoio ao lutador.

- Eu quis fazer isso, ele recebeu uma grande pancada, queria ter certeza de que ele estava bem. Tinha acontecido muita coisa, ele podia estar abalado. Eu faço isso por conta própria - finalizou o árbitro.