Luis Fernando Coutinho
15/07/2016
17:15
Rio de Janeiro (RJ)

Em fase de recuperação por conta de uma cirurgia para reparar o tendão do bíceps, Junior Cigano só deve voltar ao octógono em dezembro. Mas nem por isso o peso-pesado está alheio ao momento da categoria. De olho em novos desafios e no perfil mais atrativo atualmente no MMA, o lutador exalta o sucesso de falastrões e mira um duelo com o astro Brock Lesnar.

Em encontro com a imprensa na manhã desta sexta-feira, em um shopping carioca, Cigano falou sobre o americano e comentou o "momento dos falastrões" na modalidade.

- Não escolho luta, isso é uma verdade. Mas lutaria, sim, com ele (Brock Lesnar), até porque seria a final do The Ultimate Fighter 13. A gente devia ter lutado, mas ele não pôde, pois ele ficou doente. Então por que não fazer agora? Não tem nada inacabado, foi legal fazer o TUF com ele, o time dele ganhou do meu. Acho que seria interessante fazer essa final de volta. O grande público presta muita atenção nos caras polêmicos. Vemos caras como (Conor) McGregor e (Chael) Sonnen... Lesnar é assim, usa bem as palavras e o tamanho para provocar os adversários e chamar o grande público - afirmou o lutador, que vem de vitória contra Ben Rothwell, em abril.


Perguntado se a fase atual do esporte pede que lutadores sejam mais vocais e provocadores para gerarem interesse no público e assim alcançarem as lutas que desejam, Cigano citou a possível luta entre Michael Bisping e Dan Henderson, que ignora a posição de Ronaldo Jacaré como próximo desafiante da divisão.

- É meio absurdo. Eu, no lugar do Jacaré, estaria revoltado. Não vejo sentido no que está acontecendo. É o momento dos falastrões. Quanto mais polêmico você for, mais interessante você é. Está acontecendo um pouco disso com o Jacaré. Ele precisava ser um pouquinho mais polêmico, chamar a atenção para ele de alguma forma ou de outra. Sei que a gente tem que se concentrar em lutar, mas hoje isso é um ‘esporte-negócio’, então você tem que ser mais interessante do que só mostrar dentro do octógono - ponderou.

Confira um bate-papo com Junior Cigano
O que você achou da performance do Brock Lesnar no UFC 200?
O Brock Lesnar fez a única coisa que ele sabe fazer: derrubar o cara, colocar o peso em cima, e com a força – que deve ser muita - punir o oponente. Achei que o Hunt teria alguns momentos bons, mas não conseguiu se encontrar. O Hunt não é veloz. Lesnar fez um bom trabalho.

Você esperava essa performance dele?

Acho que ele se cuida, estava fazendo o WWE, "teatrinho", que é legal e exige bastante de você como atleta. De preparação estava bem. Não teve nada impressionante. Ele fez o que todo mundo sabia.

Como vai a sua recuperação?
Estou me sentindo bem, com o braço recuperando bem. Só vou voltar treinar em agosto, depois preciso de dois meses, acho que em dezembro eu consigo voltar a lutar. É o que espero.