Robson Gracie

                Robson Gracie será homenageado durante o evento - (Foto: divulgação)

LANCE!
05/08/2016
15:21
Rio de Janeiro (RJ)

Os fãs de jiu-jitsu têm um encontro marcado na manhã deste sábado, dia 6 de agosto, a partir das 10h (horário de Brasília). Com a presença do ministro do Esporte, Leonardo Picciani, referências da arte suave apresentam a modalidade como plataforma social e cultural do país na Casa Brasil, espaço destinado para experiências integradas de seus visitantes durante a Olimpíada e Paraolimpíada do Rio de Janeiro. A Casa Brasil fica na Praça Mauá, no Centro do Rio.

Praticante da arte suave, Picciani, 36 anos, lidera o movimento para levar ao Comitê Olímpico Internacional a proposta do jiu-jitsu como modalidade olímpica para os Jogos de 2024, ainda sem sede definida. Para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020, no Japão, surfe, skate, beisebol/softbol, escalada e caratê passarão a integrar o programa olímpico. Ainda no evento, Robson Gracie, atual patriarca da família que reinventou a categoria, será homenageado.

A ideia do movimento para o jiu-jitsu se tornar uma modalidade olímpica surgiu em um debate entre o ministro e lideranças do esporte em junho deste ano, evento realizado pela Brawlers, holding que gerencia eventos esportivos e de entretenimento, no Nocaute Fight Bar, no Rio. O encontro ainda contou com a presença do secretário de Esporte, Lazer e Juventude do Rio de Janeiro, Marco Antônio Cabral, e do secretário de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, o nadador Luiz Lima.

- O debate que promovemos em junho deste ano foi muito importante para iniciar o desenvolvimento da proposta para o jiu-jitsu concorrer à uma vaga como modalidade olímpica. A iniciativa para isso partiu do próprio ministro Picciani, e, obviamente, foi muito bem aceita pela imensa comunidade do jiu-jitsu - revela Rafael Bandeira, sócio da Brawlers e praticante da modalidade.

Arte marcial de raiz japonesa que se utiliza essencialmente de golpes de alavancas, torções e pressões para levar um oponente ao chão e dominar a situação, o jiu-jitsu chegou ao Brasil através do japonês Conde Koma, e foi em Belém do Pará que a modalidade se tornou mais brasileira. Foi na cidade onde ele conheceu Carlos Gracie, primeiro membro da família na prática esportiva. Porém, Helio Gracie foi o responsável por reinventar a técnica que consagrou, anos depois, seus filhos Rickson e Royce, este último que assombrou o mundo ao finalizar seus oponentes nas primeiras edições do Ultimate Fighting Championship (UFC).

Serviço
Casa Brasil - Apresentação Jiu-Jitsu Brasileiro
Sábado, 6 de agosto
Praça Mauá, centro do Rio de Janeiro
10h - Abertura com homenagem ao mestre Robson Gracie e debate olímpico
11h - Apresentação da prática da modalidade
12h - Encerramento