Wanderlei Silva (Foto: Divulgação/UFC)

                        Wanderlei Silva é ex-campeão do Pride e ídolo mundial no MMA (Foto: Divulgação/UFC)

LANCE!
15/01/2016
11:52
Rio de Janeiro (RJ)

Depois que anunciou sua aposentadoria do MMA, Wanderlei Silva iniciou uma verdadeira bateria de ataques ao Ultimate. Magoado com a direção da organização, o Cachorro Louco fez diversas ofensas e acusações ao evento. Uma delas foi desmentida nesta quinta-feira.

Depois publicar na internet que tem como provar que existem lutas compradas na organização, em julho do ano passado, o brasileiro voltou atrás e pediu desculpas ao UFC.

Confira o comunicado de Wanderlei Silva
"Eu estava errado, peço desculpas.
Em julho do ano passado, eu postei uma série de comentários no Facebook e Twitter, que incluía repetidas declarações de que o UFC "faz lutas armadas" e que eu poderia "provar isso". Venho por meio deste retirar tais declarações na sua totalidade, já que não compreendi que o termo "luta armada" se refere especificamente a ação ou prática ilegal de determinar de forma desonesta o resultado de uma luta antes que ela aconteça. Entendo que a reputação do UFC seria prejudicada se meus fãs e outros acreditassem que o UFC se envolvia no resultado das lutas, e não tenho nenhuma evidência para apoiar tal afirmação. Peço desculpas por qualquer mal entendido que meus comentários possam ter causado.

Wanderlei Silva"

Aos 39 anos, Wanderlei Silva não luta desde março de 2014, quando nocauteou Brian Stann no UFC Japão. Desde então o brasileiro aparece em vídeos na internet onde comenta assuntos polêmicos e até política para os fãs.