Luis Fernando Coutinho
10/07/2016
02:15
Las Vegas (EUA)

Se o Brasil acabou a noite da última quinta-feira sem nenhum cinturão do UFC após a derrota de Rafael dos Anjos pelos leves, neste sábado, o país pode dormir aliviado. Depois do título interino dos penas conquistado por José Aldo, no UFC 200, que aconteceu em Las Vegas (EUA), Amanda Nunes conquistou o título peso-galo feminino do Ultimate ao finalizar Miesha Tate em uma performance espetacular. A baiana se tornou a primeira brasileira da história a conquistar um título na maior organização de MMA do mundo.

Com uma apresentação precisa e consciente, Amanda não tomou conhecimento do poder de Tate, evitou bem as tentativas de derrubadas e encaixou seu jogo de trocação, que abalou a rival e abriu caminho para a finalização que rendeu o triunfo aos 3m16seg de combate. 

- Toda luta tento sempre melhorar. Sempre tenho que trabalhar em algo. Muita coisa aconteceu na minha vida, respeito Miesha e ela é muito dura. Me sinto bem demais, agora voltarei ao Brasil e encontrarei a minha família. A primeira coisa que vi é que eu me controlei, pois sei que ela volta mais forte no round seguinte, então tive certeza de que ela não voltaria para o segundo. Brasil, olha! É tudo nosso. Eu avisei ao Dana White que seria campeã e fui  - afirmou a lutadora, emocionada, ainda no octógono. 

Triste, Tate agradeceu o apoio massivo dos fãs e reconheceu o talento de Amanda dentro do octógono do UFC.

- Ela começou muito bem, me pegou. Sempre falei que ela era perigosa, isso me custou muito. Sempre volto mais forte de situações como essa. Obrigado a todos que me apoiam - declarou a agora ex-campeã.

A LUTA
Depois do primeiro golpe Amanda mostrou muita confiança e noção de tudo o que fazia. Paciente, mas pressionando na medida certa, a baiana acertou bons golpes na trocação e, aos poucos, foi minando a rival, que ofereceu cada vez menos resistência após duas tentativas frustradas de derrubada. Depois de encaixar uma série poderosa de socos, Amanda sentiu que Miesha começou a andar para trás, pressionou e transformou a vitória em questão de tempo. A brasileira soube aplicar os golpes no tempo certo e não se "afobou" diante de uma rival que perdeu o ímpeto aos poucos. Depois de um soco que deixou Tate abalada, Amanda a derrubou, trabalhou a posição no jiu-jitsu e alcançou o triunfo por finalização via mata-leão.